amadora

Moradores/as desalojados/as de Santa Filomena instalam-se na Igreja da Matriz da Amadora

Um grupo de quatro moradores e moradoras que ficaram sem casa em resultado dos despejos e demolições forçadas realizados no Bairro de Santa Filomena instalaram-se hoje na Igreja Matriz da Amadora. Sem qualquer alternativa onde dormir, estas pessoas ficarão na Igreja pois procuram um tecto e este foi o único que encontraram.

10 de Maio de 2014

Um grupo de quatro moradores e moradoras que ficaram sem casa em resultado dos despejos e demolições forçadas realizados no Bairro de Santa Filomena instalaram-se hoje na Igreja Matriz da Amadora. Sem qualquer alternativa onde dormir, estas pessoas ficarão na Igreja pois procuram um tecto e este foi o único que encontraram.

Bairros da Amadora Unidos para Exigir Respeito à Câmara

Os moradores de vários bairros da Amadora estão a unir-se num protesto conjunto para dizer à Câmara Municipal que é preciso respeitar o direito humano à habitação e dialogar e construir soluções em conjunto, abandonando o autoritarismo, a chantagem e a violência contra as pessoas. A iniciativa será um protesto/ concentração junto ao edifício da Câmara no dia em que o executivo estará a fazer a sua reunião publica mensal. Quarta-feira, 26 de Março, das 18:00 às 21:00

Notícia destacada

Quarta-feira, 26 de Março
às 18:00 - 21:00

Câmara Municipal da Amadora (frente à estação comboio amadora)

Os moradores e moradoras de vários bairros da Amadora estão a unir-se num protesto conjunto para dizer à Câmara Municipal BASTA! é preciso respeitar o direito humano à habitação e é preciso dialogar e construir soluções em conjunto, abandonando o autoritarismo, a chantagem e a violência contra as pessoas.

Câmara da Amadora ameaça com novos despejos e demolições em Santa Filomena

A decisão da autarquia portuguesa reveste-se de particular perversidade, dado ocorrer num período de chuvas e frio, mas também numa altura em que a crise se abate sobre o país, gerando níveis de desemprego nunca vistos em Portugal e aumentando o espetro da miséria. O principal alvo desta desumanidade é a comunidade cabo-verdiana residente no bairro

A decisão da autarquia portuguesa reveste-se de particular perversidade, dado ocorrer num período de chuvas e frio, mas também numa altura em que a crise se abate sobre o país, gerando níveis de desemprego nunca vistos em Portugal e aumentando o espetro da miséria. O principal alvo desta desumanidade é a comunidade cabo-verdiana residente no bairro

Jornal de São Nicolau (Cabo Verde)
http://www.jsn.com.cv/index.php/11-ilha/590-portugal-camara-da-amadora-a...

Sta. Filomena: CM Amadora quer despejar dezenas de pessoas

O Colectivo Habita e a Comissão de Moradores/as do bairro de Sta. Filomena denunciam o recomeço das demolições neste bairro, onde moram cerca de 380 pessoas. Em tempo de frio e chuva, as famílias foram intimadas a abandonarem rapidamente as casas onde vivem e, como nas situações anteriores, não lhes foi dada qualquer alternativa de alojamento ou apoio social, condenando-as a viver na rua.

O Colectivo Habita e a Comissão de Moradores/as do bairro de Sta. Filomena denunciam e manifestam a sua preocupação com o recomeço das demolições neste bairro. Novamente, as famílias não abrangidas pelo PER começaram a ser chamadas ao atendimento social da Câmara, uma a uma, onde na presença de representantes do ACIDI e da Embaixada de Cabo Verde foram intimadas a abandonarem rapidamente as casas onde vivem. Como nas situações anteriores não lhes foi dada qualquer alternativa de alojamento ou apoio social, condenando-as a viver na rua.

Indyzine Julho

Número de edição: 
7
Data: 
01/07/2010
Indyzine Julho
Índice de conteúdos: 

Hezbollah e LBC agredidos pela PSP
G8/G20 – De que têm medo vocês?
Mais um passo na UE do Big Brother

Hezbollah e LBC agredidos pela PSP

Os dois jovens rappers, que há pouco tempo actuaram nas comemorações oficiais do 25 de Abril, são as mais recentes vítimas da repressão policial nos bairros periféricos de Lisboa. Hezbollah e LBC foram violentamente agredidos por agentes da PSP no passado Domingo, na Amadora. “Se nada for feito para dar publicidade a esta situação, continuarão a ser alvo da brutalidade policial.”

Às 4:55 horas da madrugada de domingo 14 de Junho, no Parque Central da Amadora, um grupo de jovens, entre os quais Jakilson Pereira, 26 anos, licenciado em Educação Social, desempregado e candidato a bolsa de investigação, dirigiam-se para a Mina, Amadora.

Conteúdo sindicado
PublicarMelodias