Discriminação

Racismo, Libertação Animal, Mulher, Opções Sexuais, etc.

Afinal quem invade quem?

Texto do Observatório do Controlo e Repressão. "Invadidos por notícias de “invasões”, deixamos aqui, (embora com mais actualizações para breve), o relato dos acontecimentos vividos hoje no Bairro da Cova da Moura e na Esquadra da PSP de Alfragide"

Notícia destacada

Invadidos por notícias de “invasões”, deixamos aqui, (embora com mais actualizações para breve), o relato dos acontecimentos vividos hoje no Bairro da Cova da Moura e na Esquadra da PSP de Alfragide:

a) No início da tarde uma patrulha da PSP da esquadra de Alfragide invadiu o Bairro da Cova da Moura, numa acção de rotina que concluiu na detenção de uma pessoa;

Demolições em Santa Filomena

Na manhã de 25 de Novembro, o bairro de Santa Filomena, na Amadora, foi novamente invadido por escavadoras e vários funcionários da Câmara Municipal da Amadora (CMA), escoltados por um enorme aparato policial para proceder à demolição de habitações, sem qualquer aviso prévio. Até ao final da tarde, foram demolidas quatro casas, deixando 8 pessoas desalojadas, incluindo 3 crianças.

Roubado do Mapa

O bairro da Amadora voltou a ser alvo de demolições e violência policial

[SOS Prisões] Caboverdianos agredidos pela PSP

Quatro cidadãos de Cabo Verde foram – na noite de nove para dez de Outubro – detidos na zona da Reboleira, quando se preparavam para festejar o aniversário de um deles e enquanto se reunia o grupo de amigos com quem haviam combinado encontro para a comemoração.
O carro patrulha não gostou da expressão de contentamento do grupo, parece, e interveio, tendo atirado ao chão o aniversariante – um agente da polícia de Cabo-Verde, curiosamente

Quatro cidadãos de Cabo Verde foram – na noite de nove para dez de Outubro – detidos na zona da Reboleira, quando se preparavam para festejar o aniversário de um deles e enquanto se reunia o grupo de amigos com quem haviam combinado encontro para a comemoração.

De olhos no Curdistão

A Região Autónoma da Rojava é um dos pontos brilhantes a emergir da tragédia síria. Depois de expulsar os agentes de Assad, em 2011, e apesar da hostilidade de quase todos os seus vizinhos, Rojava não só manteve a sua independência, como constitui uma experiência democrática notável. Foram criadas assembleias populares enquanto órgãos de decisão final e, entre outras particularidades, existe um exército feminista que realizou uma grande parte dos combates contra as forças do Estado islâmico.

Outras notícias relacionadas que também apareceram no Indymedia:
Libertários do Kurdistão lutam contra o Estado Islâmico
Curdistão: Um povo que resiste a deixar de existir
Esperança e Desespero toma Curdos enquanto Kobane resiste

Notícia destacada ("Porque é que o mundo ignora os revolucionários curdos na Síria?")

Syndicate content