BardaMerkel

A contestação à visita de Angela Merkel começou na noite de 11 para 12. De facto, ao amanhecer, várias cidades do país viram algumas das suas estátuas mais emblemáticas cobertas com panos negros. De acordo com informações recebidas por email, mas não confirmadas de nenhuma outra forma, “o mundo financeiro amanheceu diferente no Porto, com dezenas de dependências bancárias intervencionadas com pedras, cola e tinta” (“os vossos dias de abundância estão contados!”, concluía o lacónico comunicado).

Já na manhã de dia 12, o Exército de Dumbledore encheu o metro de Lisboa com cartazes contra visita de Merkel e um outro grupo de activistas redecorou a cidade..

À tarde, a manif que saiu do Largo do Calvário para Belém acabou em escaramuças entre a polícia e os manifestantes, que chegaram a derrubar as grades, utilizando-as, depois, para tentarem furar o cordão policial que os mantinha a uma distância vergonhosamente grande do Palácio de Belém.

No Porto, as cerca de duas dezenas de pessoas presentes, concentraram-se na batalha e desceram à Praça D. João I onde tentaram, em vão, invadir uma dependência do Deutsche Bank. Mais tarde, queimou-se uma “Merkel” em frente ao consulado alemão.

BardaMerkel

Comentários

Braga e mais Porto

Em Braga também houve manif:
http://pt.indymedia.org/conteudo/newswire/24361

E, do Porto, há a confirmação (do JN) de ataques a instituições financeiras
http://pt.indymedia.org/conteudo/newswire/24361

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas
PublicarMelodias