25 Abril: "Padeiros Livres" fazem revolução pelas próprias mãos

Hoje, 25 de Abril de 2011, nós, padeiras e padeiros livres, convidamos todos à padaria da calçada da bica - Travessa do Cabral nº 37, libertando-a do abandono a que foi votada pelas dinâmicas económicas da cidade.

Perguntamo-nos onde estão os proprietários desta padaria que não resistiram à economia de supermercado que dominou as nossas cidades e que tornou a actividade desta e de muitas outras padarias insustentável. Fazemo-lo por todas as actividades do nosso quotidiano, cada vez mais sufocadas por politicas de regulamentação que na verdade não são mais do que instrumentos para o domínio da nossa sociedade pelos grandes grupos económicos.

Quando crescemos, ainda conhecíamos pelo nome o padeiro, o talhante, o merceeiro. Esta vizinhança abria espaço para uma solidariedade que se esfumou no anonimato das cidades actuais. Ainda assim, não é um fascínio romântico pela vizinhança que nos move, mas a necessidade de nos organizarmos frente às dificuldades da situação em que nos encontramos.

Em horas difíceis como as que atravessamos, achamos que à ideia de propriedade se devem sobrepor conceitos de comunidade e de solidariedade, sobretudo numa cidade tão marcada pelo abandono. A cidade a quem a vive e usa, a quem dela precisa. Acreditamos que juntos somos mais e que todos devemos ter uma palavra a dizer e um par de mãos para construir o futuro das nossas vidas.

Por isto, convocamos todos os vizinhos, próximos ou distantes, a pensar o que fazer desta padaria, e a partir dele, do bairro, da cidade, do mundo. A assembleia acontecerá à mesma hora da manifestação convocada para a Avenida da Liberdade, não como forma de oposição a esta manifestação, mas com a revolução dos cravos no coração, tentando celebrá-la da forma mais viva que encontrámos.

Iremos distribuir pão gratuitamente desde as 8h da manhã, até que se nos acabe a farinha. Durante a tarde, iremos servir sandes, esperando para o lanche todos os que, depois da manifestação, se nos queiram juntar. Queremos construir um forno nesta padaria, para activá-la em todo o seu potencial. A forma como o faremos será um dos pontos que iremos apresentar à discussão na assembleia de vizinhos.

Unidos Venceremos!

Um velho slogan, herança do 25 de Abril que hoje se comemora. Queremos celebrar o entusiasmo que juntou tanta gente, na ilusão da construção colectiva de um novo mundo. Guiados pelo sonho, a todos o que nos vierem pedir pão, oferecemos esta padaria. Que haja pão para tanta mão.

PS: Por comodidade utilizamos o masculino genérico neste manifesto. Não que seja nossa intenção excluir as mulheres, que para nós estão naturalmente incluídas.

Padeiras e Padeiros Livres

Comentários

Em França, empregados aderem

Em França, empregados aderem à CGT (equivalente à "nossa" CGTP) para fazer face aos seus patrões anarquistas:

http://claudeguillon.internetdown.org/article.php3?id_article=309

E então quando os nossos "rebeldes" entoam loas à propriedade com responsabilidade social e micro, menos ainda se pode esperar deles.

boa iniciativa! vou lá

boa iniciativa!

vou lá comprar o pão

boa iniciativa! vou lá

boa iniciativa!

vou lá comprar o pão

"Poverty, unemployment,

"Poverty, unemployment, homelessness - if you're not having fun, you're not doing it right!"

Crimethinc, para lá da luta de classes e da ditadura do proletariado. Os maiores micro-revolucionários do pedaço.

Estes também têm lugar cativo no Gul.. inferno.

Proletariado. A mijar na

Proletariado. A mijar na Reacção desde que nasceu!

Já te dou o eterno retorno!

Na pré-visualização aparecia

Na pré-visualização aparecia animado!

http://velhatoupeira.files.wordpress.com/2011/04/zzznietpiss.gif

esperemos que a bófia não

esperemos que a bófia não apareça para levar o pão.
Deixem trabalhar os "padeiros livres"

O Garrano é provocador e

O Garrano é provocador e socialfascista. Distila aqui a sua bílis permanentemente. Lembrou-se agora, na falta de argumentos, de usurpar o nick do Viriato Porto para semear a confusão.
Mas todos sabem a sua ladainha.
As suas macro-revoluções só existem naquela cabecinha de atrasado mental.

Viriato, Viriato, tu e o

Viriato, Viriato, tu e o resto da canalha que se opõem à revolução é que usam o nick do meu bem amado Garrano-FMI. E fazem citações truncadas e mentem descaradamente. Irão todos para o Gula... Inferno!

Toda esta canalha pequeno-burguesa começou a rosnar contra o Lenine e o deus vermelho (esse é falso, eu sou o único) mal ouviram falar em proletariado!!! Assim não pode ser! Assim desmascaram-se como canalha pequeno-burguesa que são, oposta à revolução e ao comunismo. E não há etiqueta libertária que depois vos valha!

Quando as padarias forem ocupadas por proletários, mesmo que depois lancem manifestos um pouco confusos, lá estarei para ser solidário com eles. Agora quando as acções são levadas a cabo por especialistas da micro-revolução defensora do micro-capital, fazendo propaganda a essa ideologia, só terão o meu desprezo e hostilidade, pois nem crítica decente merecem.

Esta escumalha libertária que divulga a crítica anti-semita do sistema bancário, que defende negacionistas do holocausto, que propaga ideologia proto-nazi biocentrista e animalista, que é anti-comunista e se opõe à revolução social, essa escumalha, dizia, é que é fascistóide. A sua crítica ao capitalismo entronca na reacção romântica e no pavor pequeno-burguês à proletarização.

FdP reaccionários e que não valem nada como pessoas, como se nota pelo comportamento baixo que tem aqui no indymedia.

Matem-nos a todos, o proletariado reconhecerá os seus.

ass:D.P.

uuuuiiii

dá riso a ver os comentários dos comunas.. com activistas destes quem precisa de bófia.. quando crescerem serão o orgulho de mao tse tung, paul pot e estaline.. viva a proletarização da humanidade!! Pena que não vos mandem todos para a coreia do norte..

É penoso discutir com

É penoso discutir com mortais... tão mentecaptos. Reconhecer a existência do proletariado não é defender a proletarização da humanidade, meu imbecil!

A questão é, que quando se fala em proletariado, o lixo reaccionário que se identifica como libertário, vê logo a coreia do norte e o pol pot. E o mesmo quando se fala em comunismo.

Por falar em Pol Pot. Esse foi um grande anti-consumista e defensor duma vida simples no campo. Devia ser o herói desta escória anarcóide.

pol pot grande homem, só

pol pot grande homem, só secundado pelo garrano!! diz-lhes das boas garrano!!!

A escória anarcóide, uma

A escória anarcóide, uma espécide facção da extrema-direita do capital, só é sincera quando ataca o comunismo. Comunismo, sociedade sem classes, sem estado, sem dinheiro, sem pequena propriedade nem pequeno-burgueses e menos ainda sem igualdade entre homens e animais.

E como as participações

E como as participações continuarão a ser deste tipo, usurpações de nick, identificação do comunismo com o pol pot, o atrevimento da ignorância a dar vontade de rir ao lixo pequeno-burguês em histeria em tempo de crise, só regresso aqui daqui a uns tempos para continuar a escarrar na facharia verde e libertária.

o que vale é que estavas aqui

o que vale é que estavas aqui no mesmo minuto que quem usurpou o teu nick... respondeste-lhe no segundo seguinte... és rápido.......

ahahahahahah tomem lá que já

ahahahahahah tomem lá que já almoçaram!!! e foi erva, seus vegetas faxistas!! o garrano é que mete o dedo na ferida, e vocês pianinho....

o garrano é o nosso mestre...

o garrano é o nosso mestre...

Garrano, Garrano vai e não

Garrano, Garrano vai e não voltes.

O indymedia não é hospício de múmias ideológicas petrificadas.
A tua religião ideológica é tão reaccionária como o fascismo ou nazismo.

Garrano és um esqueleto ideologizado, fora da história e da vida. Ainda acreditas na virgem, nos santos e nas rezas do cristo-proletariado, mas se te pergutarem o que é o proletariado, tu respondes:
-É o Partido
E quem é o Partido?
- Sou eu - responde o Garrano a babar-se da sua teoria científica !!!!

O Viriato que idolatra a

O Viriato que idolatra a agente de segurança Michelle Onfraiche, seguidora do reaccionário Nietzsche, e com faro para a moda intelectual burguesa, por isso prezando muito todo lixo pós-modernista, influenciado pelo nazi heidegger e pelo reaça que falei lá trás, acabou de partilhar comigo quais as tendências para esta estação lá no bairro dele. Mas eu prefiro a opinião do Paulo Portas caso tenha que comprar um traje de cerimónia ou um fatinho para uma entrevista.

Um exemplo de imcecilidade

Um exemplo de imcecilidade reaccionária retirada do blogue do Viriato:
"História Popular das Ciências, de Clifford Conner, é um livro que conta a história dos saberes e dos conhecimentos desenvolvidos pelos caçadores-colectores, pelos pequenos agricultures, pelos marinheiros, pelos mineiros, pelos ferreiros, e tantos outros, que asseguraram a sua substência através do contacto permanente com a natureza.

A medicina tem a sua origem, por exemplo, na descoberta pelos povos pré-históricos das propriedades terapêuticas das plantas. As matemáticas devem a sua existência aos topógrafos, aos mercadores, aos registadores de contas, e aos mecânicos.

Foi só no século XIX que por efeito da união entre o Capital e a Ciência se rompe essa evolução lenta e equilibrada. Entra-se na era das tecnociências, dominada pelos especialistas e obcecada pelas todas-poderosas eficácia, racionalização, acumulação e lucro.

O livro História Popular das Ciências, que acabou de ser editado em França, ajuda-nos a compreender aquela evolução e conhecer a natureza da sociedade tecnológica que hoje nos domina e nos aliena."

O problema desta sociedade é ser tecnológica. A explosão do conhecimento no século XIX, segundo o Viriato ou o autor que ele resenha, ao deixar de ser uma evolução lenta e equilibrada (?), ao dar tanta importância à maldita racionalização e eficácia (esta é particularmente malvada) tornou-nos escravos.

Ó Viriato, vai lá cagar numa dessas latrinas pré-dominação, desse idílico mundo feudal e próximo da natureza e deixa o computador em paz. E dá um passou bem aí à vítima da varíola mais próxima que ainda respira graças à sabedoria dos campónios. É preciso ter perdido o cérebro nalgum esgoto reaccionário para se conseguir ler isto sem vomitar ou rir.

Decididamente esta gentalha merece ser fuzilada na primeira oportunidade.

eu que não simpatizo com

eu que não simpatizo com muito do que ele diz (sim porque não temos nenhum comité central em que um abre a boca e resto começa "imotep imotep imotep"), fico a pensar "se o garrano é assim tão anti-viriato, alguma coisa o viriato deve fazer bem"

O viriato deve ser a pessoa

O viriato deve ser a pessoa mais importante da tua vida...

Na verdade, merecem tão

Na verdade, merecem tão somente viver no mundo que idealizam:

How to Install a Composting Toilet With Maintenance
By Tricia Ballad, eHow Contributor

Composting toilets used to be the sole domain of survivalists and backwoods campers, but they are becoming increasingly common in areas where drought conditions and water restrictions are a fact of life. Commercial models are more expensive than traditional flush toilets, but their design makes the transition to a composting toilet easy and inoffensive. You can save a significant amount of money by building a composting toilet yourself. A homemade model can be as simple as a toilet seat mounted on a 5-gallon bucket, or you can build it into a cabinet structure to hide the evidence of decomposing waste.

Difficulty: Moderately Easy
Instructions

things you'll need:
Composting toilet, either a commercial model or homemade
5-gallon bucket
Sawdust
Water
Pitchfork or shovel
2 50-gallon storage bins with lids
Assemble the Composting Toilet

1
Assemble the composting toilet, following the manufacturer's instructions. Commercial units are self-contained and do not require special installation. Homemade versions can be self-contained, or you can build them to vent odors outside, depending on the design.

2
Fill the 5-gallon bucket with sawdust. Place this near the composting toilet. Sprinkle a handful of sawdust into the solid waste container after each bowel movement. This will maintain an odor-free environment, as well as aid in eventual decomposition.

3
It is not necessary to add sawdust when urinating because composting toilets separate solid and liquid waste. A separate container collects the urine. When the urine container is full, dilute it with 2-parts water (from either the tap or collected rainwater) to 1-part urine and spray on the lawn or garden. It will provide nitrogen--a necessary fertilizer--to the plants.

4
When the solid-waste container is full, empty it into one of the 50-gallon storage containers. Continue to fill this large storage container for 1 year, or until it is full. Mix the waste every time you add more, to aerate it and speed decomposition.

5
When the first 50-gallon storage container is full, leave it alone to fully decompose for 1 year. In this time, use the second 50-gallon container to accumulate solid waste. After a year, the waste in the first container will have fully composted, killing any pathogens. Use it as a soil amendment or mulch.

Tips & Warnings

If you notice odors coming from the toilet's waste receptacle or the 50-gallon collection bin, add more sawdust and use the shovel to turn the waste. This will aerate it, killing the anaerobic bacteria that cause odors.

Check with your local and state government to find out if any permits are required to operate a composting toilet. Regulations vary by location.

References

MotherEarthNews.com: Mother's Compost Commode
"The Humanure Handbook;" Joseph Jenkins; 2005

Read more: How to Install a Composting Toilet With Maintenance | eHow.com http://www.ehow.com/how_5805946_install-composting-toilet-maintenance.ht...

Mother Earth, esta não é uma divindade genuína, por muito que os fanáticos a adorem e adulem. Deus só há um, sou eu e mais nenhum.

Afinal voltaste,

Afinal voltaste, Garrano.
Voltaste porque não conseguias deitar-te com a tua maldita e fétida teoria. O cheiro nauseabundo põe-te colérico e bronco. Atacas o mundo por não se encaixar nos teus dogmas. Imagino-te a berrar num quarto pútrido, santinhos na parede, e as sagradas escrituras pelo chão, contra a realidade:

- Porque é que me atraiçoas, realidade? Tu, a quem tinha reservadas todas as minhas forças!E eu que tinha uma teoria científica tão bem elaborada para ti! Tu, os vegetarianos, os padeiros, e mais os Onfrays que vão para o inferno! Dêem-me ao menos o Paulinho Portas, esse sim, esse encaixa-se na minha teoria...

E lanças-te ao chão num golpe de desespero. Mas ganhas força para uma desforra mais. Levantas-te e abres o computador, procuras o Indymedia e começas a vomitar até ao soluço final.
Depois, arrastas-te até à cama, procuras o esquelo teórico que jaz ao teu lado, abraça-o e, num esgar de nojo ouve-se ainda a tua fala de moribundo:
- É meu, só meu.
Mas o esqueleto teórico continua imóvel aos teus apelos, e desfalecido, desmaias sonhando na macro-revolução...

O querido e saudoso António

O querido e saudoso António José Saraiva era surdo e usava um aparelho com pilhas que ligava e desligava. Nos seus tempos de comunista foi várias vezes preso. Uma vez, num interrogatório o pide perguntou:
- Mas o senhor não acha que o marxismo está ultrapassado?
Ele não percebeu bem:
- O quê?
- Se o senhor não acha que o marxismo está ultrapassado?
O António José Saraiva desligou o aparelho e disse:
- Ora, estou eu aqui a gastar pilhas…

Até nas historinhas que conta

Até nas historinhas que conta o Garrano cheira a mofo.

Mais o mais curioso é que a historinha da carochinha do Garrano denuncia a ignorancia dele quando fala do António José Saraiva, o qual passou da ortodoxia comunista para um anti-comunismo primário.

Ou será que o Garrano lhe seguiu as pisadas, e atrás da boçalidade bronca de um ortodoxo empedernido se oculta o mais visceral anti-comunismo ?

hahahaha. que engraçado!

hahahaha. que engraçado!

quem vé neste acção a defesa

quem vé neste acção a defesa da propriedade é um imbecil que ainda por cima não sabe o que se passou, o que se passou foi um acto bem revolucionário, a libertação de um espaço para usofruto da comunidade é um acto de combate a propriedade é um acto de construção de auto gestão comunitária que pode parecer estranho a reacionários da defesa das ditaduras de proletariado ou da defesa de capitalismo de estado ao velho estilo estalinista. vão mas é carpir a vossa incapacidade de realmente contestar o capitalismo, com as pseudo lutas de trabalhadores, sem fazer a critica ao trabalho abstracto apenas perpetuando o trabalho forçado e assalariado, negociando o que é inegociavel que são as nossas vidas.

o texto defende a pequena

o texto defende a pequena propriedade contra a grande. e a autogestão dos pequenos espaços não elimina o trabalho abstracto, ó kurzista de meia tijela. leninista é a porca da tua mãe, e viva a ditadura do proletariado!

viva a padaria livre!

viva a padaria livre!

juntos estamos! juntos

juntos estamos! juntos venceremos! forca com esse pao, alimenta a revolucao!

lixo pequeno-burguês! defesa

lixo pequeno-burguês! defesa da pequena propriedade! a pequena propriedade vai à vida devido à tendência inevitáVEL DA CONCENTRAÇÃO do capital, que opera no capitalismo. que interessa isso aos proletários? que essa classe pereça duma vez para deixar de poluir a confrontação social com o seu peso reaccionário.

e depois querem implicar que a estrutura sintáctica da língua contém algum tipo de discriminação, quando toda a gente, sem excepção, sabe muito bem que as mulheres não estão excluídas, em frases como as criticadas. porque será que no persa, língua de um país misógino e que nunca foi particularmente feminista, não exista género gramatical nesse tipo elementos linguísticos?

o moralismo pequeno-burguês a actuar, vitimista e redentor de culpinhas.

Pareces mais preocupado em

Pareces mais preocupado em derrubar esta iniciativa do que o FMI.

Quem é reaccionário aqui?

ehehe

tás é com inveja porque não consegues controlar a rebeldia de quem não se sujeita ditadura do proletaiado nem à ideologia totalitária do deus vermelho.. esse tempo está morto como estão as tuas aspirações.. tens como alternativa ir catar piolhos para a tumba do lenine ou do trotsky

imbecilidades desfiadas atrás

imbecilidades desfiadas atrás de outras imbecilidades. eu não sou leninista mas não admito que vermes que se inspiram em doutrinas que vão beber a filósofos reaccionários e mesmo nazis, como são o caso do nietzsche, do heideger e da sua descendência pós-moderna me venha dar lições sobre o que está ou não ultrapassado. rebeldes há muitos. os nazis por exemplo, eram muito rebeldes. este texto exprime uma ideologia pequeno-burguesa, tal como expliquei, e o sentido da moda de tal canalha não me interessa um caracol.

ver uma defesa da propriedade

ver uma defesa da propriedade numa ocupação é de um contorcionismo surpreendente.
No geral o que leio desta acção é uma defesa da função social da propriedade, e de uma construção comunitária do uso dessa propriedade.
Força companheiras!

tu só vens praqui destilar o

tu só vens praqui destilar o teu veneno porque já ninguém tem paciência para te aturar aí fora...já nem a tua mamã te liga

E pronto - o mesmo lixo

E pronto - o mesmo lixo anti-semita de sempre

garrano, fascista, quer toda

garrano, fascista,
quer toda a gente sionista!

Falam falam mas continuam com

Falam falam mas continuam com a mesma lenga lenga eco-fascista. iguaizinhos aos vegetarianos do iv reich. e ainda apoiam a promoção da pedofilia com o hakim bay

O Hakim Bey não é pedófilo! É

e a foto que ilustra o 2º

e a foto que ilustra o 2º artigo é um certificado de qualidade indubitável. hahahahahahaha

E eu que pensava que eram só

E eu que pensava que eram só os comunas que comiam criancinhas... Afinal também há anarquistas com essa fama!

já antes tinhas enviado estas

já antes tinhas enviado estas noticias, garrano... não há mais?

não te chegam? ou vais

não te chegam?
ou vais organizar uma sessão no gato vadio a elogiar este animal?

pensava que só te opunhas,

pensava que só te opunhas, garrano, quando se elogiavam os vegetais...

bem lembrado. e vou-te

bem lembrado. e vou-te convidar para falares dele. lá por seres um imbecil tens direito à tua opinião... capisce?

oh lindo... mas são todos da

oh lindo... mas são todos da mesma fonte. como é que sabemos que não é lixo conspiranoico? porque tu dizes?

achas que o pessoal da libcom

achas que o pessoal da libcom e os autores têm a ver com isso?

que gentinha!

ja te estás a engasgar...

ja te estás a engasgar...