Balanços dos primeiros 10 dias da operação do regime turco em Afrin

#KatilDevlet Balanços dos primeiros 10 dias da operação do regime turco em #Afrin | Milhares de pessoas saíram às ruas no fim-de-semana em solidariedade com a revolução curda e na defesa de Afrin #DefendAfrin

[As nossas primeiras três actualizações | http://bit.ly/2n3HRDb; http://bit.ly/2F4VZ6; http://bit.ly/2FukmKR ]

Afrin é uma cidade que fica no norte da Síria, em Rojava e terá cerca de 500.000 pessoas. Durante todo o período da guerra síria conseguiu passar ao lado dos rastro de destruição e de sangue que aconteceram por toda a Síria e chegou a ser uma das zonas que mais refugiadas/os acolheu nas ondas massivas de 2014. Estima-se que mais de 200.000 pessoas chegaram à zona e encontraram ali o espaço e as condições para conseguir voltar a viver. | Um mapa interativo sobre as etnias a viverem na região de Afrin | http://bit.ly/2BlcaKF

No passado dia 20 de Janeiro o regime turco iniciou uma operação militar (aérea e terrestre) contra a região de #Afrin em Rojava, o objectivo de Erdogan é apoiar as suas proxies jihadistas na batalha de Afrin. O balanço dos primeiro 10 dias é devastador, a destruição de patrimônio cultural e arqueológico, assim como, as centenas de habitações têm sido incalculável. Está também a gerar-se uma grande crise humanitária na região, estima-se que mais de 25,000 pessoas tenham sido forçadas a deslocar-se procurando refúgio nas montanhas e em caves. | http://bit.ly/2nnTxS4http://bit.ly/2FvveZd Os principais hospitais da zona estão a ficar com escassez de medicamentos e outros materiais necessários para apoiar as centenas de pessoas feridas. Até ao momento os balanços apontam para pelo menos 65 pessoas mortos e 198 feridas. | http://bit.ly/2BFd70xhttp://bit.ly/2GwUEqx

Com os bombardeamentos que aconteceram no norte da cidade de Afrin vários serviços públicos foram destruídos. Uma das zonas que causa mais preocupação é a barragem de Maydanki que sofreu fortes danos, e caso colapse poderia inundar várias zonas circundantes. | http://bit.ly/2npch3thttp://bit.ly/2rNsAM4

Depois da aviação turca ter bombardeado e destruído a zona arqueológica de Nabi Hori no início da ocupação, na sexta-feira passada os bombardeamentos causaram a destruição do templo de Ain Dara construído em 1300 a.C e que funcionou até 740 a.C | http://bit.ly/2F1uFWF http://bit.ly/2Er1iho

Ao longo da últimas semana vários batalhões anunciaram a sua presença na batalha de Afrin na luta contra o fascismo turco. O Batalhão Internacional das #YPG anunciou quinta-feira que se iriam juntar aos combates, no dia anterior já o batalhão de mulheres internacionalistas que se encontram dentro das #YPJ também anunciou a sua presença na defesa de Afrin. Nos últimos dias várias brigadas das #SDF também anunciaram que as suas tropas se iam mover para Afrin | http://bit.ly/2FtaW28 http://bit.ly/2DNQpsL

A contestação popular emergiu em Rojava, e na última semana aconteceram várias manifestações de apoio a Afrin em várias zonas da região, ontem no cantão de Cizre centenas de milhares de pessoas manifestaram-se em Qamishlo para denunciar a invasão de Afrin e mostrar solidariedade a apoio à resistência de Afrin exigindo que se quebre o silêncio na comunidade internacional e se pressione o regime turco para parar o genocídio em curso. Nesta manifestação mais de 100 jovens do movimento da juventude de Rojava declararam que vão tomar as armas e defender Afrin. | http://bit.ly/2nobakS http://bit.ly/2nr5Xry

A REPRESSÃO NA TURQUIA

Quando anunciou a ocupação de Afrin, Erdogan declarou aos meios de comunicação que qualquer tentativa de oposição ou crítica à operação seria fortemente reprimido, para tal publicou um guia de imprensa, que deve ser seguido para falar sobre a operação turca. Até ao momento foram presas cerca de 311 pessoas por "espalharem propaganda terrorista". Entre os detidos estão vários jornalistas, políticos, médicos e pessoas que partilharam mensagens nas redes sociais, que criticam ou dão um ponto de vista diferente do oficial, sobre a invasão. O jornal #Afrika, um jornal no território ocupado pela Turquia no #Chipre, foi atacado por militantes da organização fascista lobos cinzentos, leais ao regime de Erdogan, por chamar à ofensiva Turca como a segunda invasão da Síria | http://bit.ly/2nr33my http://reut.rs/2DNTf0S

A ofensiva contra os meios de comunicação também se fez sentir, o último ataque foi feito aos meios de comunicação The Region e Jinnews , que se encontram bloqueados para acesso na Turquia. | http://bit.ly/2ntEQvT Ontem também a associação de Médicos da Turquia sofreu uma busca surpresa por parte das forças da repressão, por causa do posicionamento de vários médicos contra o massacre que o regime está a cometer e que levou a prisão de alguns deles | http://bit.ly/2E2p7yk http://bit.ly/2EmGPu5

As organizações fascistas turcas têm emergido em apoio ao regime, o líder do partido de extrema-direita MHP declarou recentemente que teria centenas de Lobos Cinzentos (a organização paramilitar de extrema-direita) preparados para serem enviados para Afrin e apelou a que “todos os terroristas sejam queimados” | http://bit.ly/2nuf4aP

A GEOPOLÍTICA DA BATALHA DE AFRIN

Sob o pretexto de proteger "as fronteiras do ISIS e dos terroristas curdos" o regime turco afirma que esta operação pretende criar uma zona de segurança com 30km dentro da fronteira síria, curiosamente a medida exata das fronteiras a norte e oeste do Cantão de Afrin, ao mesmo tempo que procura estender a incursão em Manbij. As negociações com os outros actores políticos levaram a que a Comunidade Internacional rapidamente se mantivesse em silêncio. Rapidamente vários grupos jihadistas que combatem na Síria se juntaram à agressão da Turquia, #AhraralSham, o #PartidoIslâmicodoTurquemenistão e o #HTS (Tahrir al Sham) já declaram o seu apoio à invasão, entre outros grupos jihadistas. De lembrar que os três grupos identificados são apoiantes, ou a versão local, da #AlQaeda e estiveram anteriormente em aliança com o #ISIS #BreakTheSilence http://bit.ly/2EruMf6; http://bit.ly/2GzAtrM

Tendo a Turquia o controlo do sul do Mar Negro, que é uma zona estratégica para interesses Russos, que também tem vários negócios com oleodutos que passam em território turco, levou a que os russos permitissem rápidamente o ataque aos curdos depois de reuniões entre os dois governos. Por parte dos EUA, rapidamente olharam para o lado e desde então o discurso passa por afirmar que a "Turquia tem toda a legitimidade para proteger as suas fronteiras dos terroristas curdos" Também a CIA depois de 5 anos classificou pela primeira vez o PYD como partido irmão do PKK e portanto também organização terrorista.

Depois do pedido oficial por parte do cantão de Afrin de apoio ao governo Sírio, para evitar os bombardeamentos, a resposta de Damasco passou por exigir que a região de Afrin voltasse a controlo sírio, e que as forças militares curdas deveriam integrar-se nas brigadas locais eu no exército sírio de forma a que recebessem apoio de damasco. Importa relembrar um ditado popular entre este povo : “ Os nossos únicos amigos são as montanhas” A solução foi rejeitada pelo povo curdo, que se encontra assim entre as montanhas no combate contra o fascismo turco.

Leituras adicionais sobre a análise geopolítica da batalha de Afrin | http://bit.ly/2FxCfsp http://bit.ly/2BvKPFy http://bit.ly/2nsFhGKhttp://bit.ly/2DO0qGu http://bit.ly/2rVFecd

A SOLIDARIEDADE INTERNACIONALISTA | MILHARES DE PESSOAS EM TODO O MUNDO MANIFESTAM-SE CONTRA O REGIME TURCO E A OCUPAÇÃO DE AFRIN #AfrinNotAlone

No fim-de-semana milhares de pessoas tomaram as ruas de todo o mundo, para demonstrar solidariedade com o povo curdo, e denunciar o ataque do regime turco. Aconteceram manifestações na #Argentina, #Chile, #Bolívia , #Colômbia #Brasil , #EUA e #Canada.

Na Europa aconteceram manifestações em várias regiões do Estado Espanhol, em diferentes cidades de #França, #Bélgica, #Inglaterra , #Escócia, #Alemanha, #Holanda, #Suíça #Suécia, #Noruega, #Áustria, #Grécia, #Itália e #Dinamarca | http://bit.ly/2DPv56j http://bit.ly/2ns3Rry

Em Portugal depois da RELL - Resistência Estudantil Luta e Liberdade ter emitido um comunicado a denunciar a agressão do regime turco a Afrin e a manifestar solidariedade com o povo curdo, esta semana o Sindicato de Estudantes de #Lisboa também emitiu um comunicado de solidariedade |http://bit.ly/2DwMQmO Em #Coimbra a Assembleia Feminista de Coimbra convocou uma concentração de solidariedade com o povo curdo que aconteceu no passado sábado | http://bit.ly/2Fv6tMv http://bit.ly/2DQ7SwY

via Guilhotina.info

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas