[Concentrações] Mexeu com uma, Mexeu com Todas | Não à cultura da violação

Em 2016, uma jovem foi violada numa discoteca em Vila Nova de Gaia por dois dos seus funcionários.

O Juízo Criminal Central de Vila Nova de Gaia condenou os arguidos a quatro anos e meio de prisão com PENA SUSPENSA, sentença confirmada pelo Tribunal da Relação do Porto.

Não aceitamos uma justiça machista! Não aceitamos que os tribunais sejam um palco para a cultura da violação, uma cultura que transforma as vítimas em culpadas, uma cultura que subvaloriza e invisibiliza as vítimas.

Já a 27 de outubro de 2017 ocupámos esta praça, para expressar o nosso repúdio e indignação pela decisão do Tribunal da Relação do Porto que lavrou um acórdão que legitimava a violência doméstica contra as mulheres, apoiado em considerações machistas e misóginas sobre o comportamento da vítima.

Temos de ocupar novamente a praça, porque não podemos consentir que a justiça seja injusta. Vamos ocupar a praça, para dizermos às vítimas do machismo - seja nas fábricas da cortiça, seja nos tribunais - que não estão sozinhas.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
PORTO - 26 de setembro

Local:
Largo Amor de Perdição - Cordoaria - Porto

MEXEU COM UMA, MEXEU COM TODAS.
NÃO À CULTURA DA VIOLAÇÃO

Rumo ao 25 de Novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contras as Mulheres.
Rumo à Greve Feminista de 8 Março.

evento: https://www.facebook.com/events/472853126561330/

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

COIMBRA - 27 de setembro

Local:
Praça 8 de Maio - Coimbra
"Justiça machista não é justiça! É tempo de voltar a sair à rua contra o machismo nos tribunais! Há menos de um ano (27/10/2017), saímos às ruas contra o acórdão machista do juiz Neto de Moura, num caso de brutal violência doméstica e de género. Agora veio a público um novo acórdão machista, assinado pela juíza Maria Dolores da Silva e Sousa (relatora) e pelo juiz Manuel Soares.
Dois funcionários da discoteca Vice Versa, em Vila Nova de Gaia, violaram uma jovem de 26 anos, em novembro de 2016. A jovem estava comprovadamente inconsciente, mas o Tribunal invoca "sedução mútua" e "mediana ilicitude" para manter a pena suspensa conforme se pode ler nesta notícia https://www.dn.pt/vida-e-futuro/interior/tribunal-invoca-seducao-mutua-e... "

À semelhança das companheiras do Porto e de Lisboa, também em Coimbra ocuparemos a rua e gritaremos "já basta" desta cultura de violação, legitimada e reproduzida pelas instituições da Justiça, que culpabilizam as mulheres pelos crimes sofridos e protegem os seus agressores.

Em Coimbra, a concentração acontecerá no dia 27 de setembro, quinta-feira, pelas 18:00 horas, na Praça 8 de Maio!

evento: https://www.facebook.com/events/701358456929933/

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

LISBOA - 28 de setembro

Local:
Praça da Figueira - Lisboa
Justiça machista não é justiça! É tempo de voltar a sair à rua contra o machismo nos tribunais! Há menos de um ano (27/10/2017), saímos às ruas contra o acórdão machista do juiz Neto de Moura, num caso de brutal violência doméstica e de género. Agora veio a público um novo acórdão machista, assinado pela juíza Maria Dolores da Silva e Sousa (relatora) e pelo juiz Manuel Soares. Dois funcionários da discoteca Vice Versa, em Vila Nova de Gaia, violaram uma jovem de 26 anos, em novembro de 2016. A jovem estava comprovadamente inconsciente, mas o Tribunal invoca "sedução mútua" e "mediana ilicitude" para manter a pena suspensa conforme se pode ler nesta notícia https://www.dn.pt/vida-e-futuro/interior/tribunal-invoca-seducao-mutua-e...

Também em Lisboa vamos gritar bem alto Justiça machista não é justiça!

evento: https://www.facebook.com/events/1040564119487209/

Comentários

Registo Porto

Juiz em causa pórpia

Associação de juízes sai em defesa de acórdão da Relação. "Não houve violação"

"Os tribunais não decidem para agradar a militantes de causas", diz a Associação Sindical de Juízes Portugueses, cujo presidente, Manuel Soares, é um dos autores do acórdão da Relação do Porto que manteve a suspensão de pena a dois homens que violaram mulher inconsciente e incapaz de resistir.

tribunal entendeu que o mal feito não é “elevado”

Violaram-na quando estava inconsciente, mas tribunal entendeu que o mal feito não é “elevado”

http://pt.indymedia.org/conteudo/newswire/47399

Evento em Lisboa - 28 set

Justiça machista não é justiça

http://pt.indymedia.org/conteudo/agenda/47410

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas