A morte "pró-vida" de Savita na Irlanda

Savita Halappanavar, de 31 anos, morreu num hospital irlandês, depois de lhe ser negado um aborto. Tendo sido internada com dores lombares, foi descoberto que Savita estava a ter um aborto espontâneo de uma gravidez de 17 semanas.

Durante o internamento, os médicos recusaram-se a realizar o aborto apesar de não existir quaisquer hipóteses de sobrevivência do feto, e foi-lhe dito "this is a catholic country". Savita, em sofrimento durante três dias, não viu nunca respostas ao seu apelo, uma vez que ainda se podia escutar o batimento cardíaco do feto.

Quando o feto foi considerado morto e removido, Savita não sobreviveu à septicemia causada pelo aborto e morreu no dia 28 de Outubro.

Adensa-se agora na Irlanda a luta pela reforma das leis vigentes para que o aborto seja legalizado em situações específicas, tais como no caso de risco de vida da mãe.

+ info

http://www.indymedia.ie/article/102721

http://www.choiceireland.org/content/choice-ireland-renews-calls-abortio...

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas
PublicarMelodias