Drogas no chichi!

Há uns dias fui chamada para um daqueles trabalhos de agora para o Natal, em que te aliciam com a possibilidade de depois voltares a ser chamada para integrar a empresa ("já aconteceu!" dizem-te), mas sabes que te vão usar apenas para o Natal, altura horrível para trabalhar, e depois dão-te um chuto no cú e nunca mais te chamam.

Era uma empresa privada (ainda há alguma que não seja?!) e disseram-me para aparecer para fazer análises, dando a entender que iria ser seleccionada. No dia das análises apresentam-me uma folha 'Controlo de abuso de substâncias'... algo do género, fiquei surpreendida, nunca me tinha acontecido, perguntei o que era, 'é para ver se consumiu alguma destas substâncias', filhos da puta pensei para mim própria, na folha estava uma cruz em 'canabinóides', 'opiáceos' e 'metaanfetaminas', as substâncias a testar, a cocaína também estava por lá e se bem me lembro outras substâncias onde não puseram a cruz para testar.

Costumo fumar ganzas de vez em quando, e na véspera à noite tinha dado uns bafos numa ganza. Pensei que se fodam, querem vir analisar-me o mijo, pois venham, estou-me a cagar (em breve pedirão também cagalhões para analisar), e assinei a folha. Este teste é obviamente uma prepotente invasão de privacidade.
Para além da primeira urina da manhã que levei pediram-me para dar mais uma mijinha lá, não fosse eu ter pedido algum chichi emprestado, o que podia ter feito e colocado no recipiente que me deram.
Depois dos assuntos mijados vou ao departamento de recursos humanos e dizem-me que 'se for seleccionada entram em contacto consigo até ao fim da semana', então não fui seleccionada? 'não, estamos a ver muita gente...! mas fica já com as análises feitas, se não for seleccionada agora quando precisarmos de alguém já é mais fácil'.

Ou seja, a empresa têm acesso a todos os meus dados pessoais, incluindo dados de saúde e até de consumo de psicotrópicos, e nem me dão a certeza de ser seleccionada, não será isto abuso e invasão da privacidade?? Será isto legal?? Alguém sabe qual é a legislação que regula isto?

Ocorre-me se fosse seropositiva será que a empresa me contrataria? Com o sangue que me retiraram podem fazer a análise do HIV? Sim, sei que obviamente existe discriminação para com seropositivos, mas as empresas podem mandar fazer o teste do HIV ao sangue retirado numa situação como a minha? O que diz a lei? Provavelmente a partir do momento que a empresa tem o sangue faz com ele o que entender... Ou existe alguma regulamentação acerca dos testes que podem ser realizados ao sangue pelas empresas? E se existe lei acerca disto, ela é respeitada? Como ter a garantia de que o é?

O HIV poderá ser o caso mais flagrante de discriminação, mas na ficha que preenchi tinha que dizer todos os problemas de saúde que tenho ou tive, e obviamente as empresas preferem quem não tem problemas de saúde.
Estamos cada vez mais fichados, controlados, sujeitos a filtragem cada vez mais apertada para poder aceder à escravatura assalariada, os que não passam no filtro podem ir morrer longe, é a mensagem que passa.

Disseram-me que até ao final da semana me diriam algo se fosse seleccionada, como não disseram não fui. Talvez o teste das drogas no chichi tenha dado positivo com sinal de GANZA! ESTA FUMA BROCAS!, soaram sirenes e alarmes, e como empresa responsável que é, não quer DRÓGADAS VAGABUNDAS FUMADORAS DE GANZAS na empresa, uma medida de prevenção responsável, portanto.

Continuo a fumar ganzas quando me apetece, não é algo central na minha vida, e por acaso nem costumo trabalhar na companhia do amigo THC (não acho mal quem o faz), daí o ridículo deste teste e das medidas preventivas repressivas deste género.

Se souberem alguma coisa acerca da legislação que regula estas invasões de privacidade, partilhem por favor. Obrigada.

Comentários

Apresentar queixa

Obrigada pela ajuda e partilha.

Considero fazer queixa ou expôr o sucedido, mas há que ter cuidado, porque se a empresa sabe que fui eu as probabilidades de lá vir a trabalhar deixam de existir... (se é que existem)
Será que as autoridades legais que referes comunicariam à empresa o meu nome?... Mesmo que não mais tarde ou mais cedo a empresa saberia, se a queixa fosse avante, não é?...

Não, não me foi dada informação escrita nenhuma sobre a necessidade de analises acerca de 'abuso de substâncias', nem me foi dada nenhuma justificação para ser submetida a tais testes. A folha das análises de 'abuso de substâncias' foi-me dada para assinar e recebida por uma enfermeira, fui visto por uma médica numa outra sala, e uma terceira pessoa, uma técnica, recebeu a urina que levei de casa, pediu-me mais uma mija, e tirou-me sangue. Para a recolha de sangue também não me foi dada nenhuma justificação nem informação escrita.

No questionário de saúde que tive que preencher vinha também uma pergunta acerca de gravidez, salvo erro era mesmo se estava grávida ou não. Recordo-me porque também me surpreendeu, obviamente as empresas não querem grávidas...

Trata-se de uma das maiores empresas estrangeiras em Portugal, mas parece-me que estes testes já são práctica corrente...

Obrigada.

Deixo aqui uma pequena

Deixo aqui uma pequena explicação sobre os testes usados. Atenção os cannabinoides podem ser detectados até 30 dias. O THC dissolve-se na gordura é uma droga lipossuluvel e demora bastante tempo a ser eliminada e os testes mesmo na urina estão cada vez mais sensíveis. Em média durante 15 dias são persistentemente positivos. Atenção pois às brocas quando se vai pedir emprego.

Agora a explicação do tipo de testes e do tempo em que as substâncias são detectadas. A tabela é para testes de urina dos que as empresas normalmente usam.

Toda a atenção é pouca. Se possível levar mijo de pessoa sem consumos e tentar enganar a vigilante. Feche a porta do WC se ela deixar e despejar a urina do amigo careta no frasquinho da empresa.

O que são os testes?
As análises/testes para detectar o consumo de drogas são análises específicas de detecção das diferentes drogas.
Que tipo de análises existem?
Existem análises ao sangue, à urina, ao cabelo (só para investigação), ao suor e à saliva. No entanto os mais utilizados são os testes à urina, que podem ser realizados em laboratório ou através de um kit comprado em qualquer farmácia.
Quais os factores que podem influenciar os resultados dos testes?
A possibilidade de detecção de substâncias no organismo vai depender de vários factores, entre os quais:
Características da substância consumida (quantidade e a qualidade);
Características do indivíduo (peso, altura, género, capacidade de metabolização da substância no organismo, humor, etc.);
Características do consumo (frequência de consumo, circunstâncias do consumo, etc.);
Método de detecção utilizado (teste à urina, sangue, cabelo, saliva ou suor).

Período de detecção
Na tabela seguinte apresentamos os períodos de detecção de variadas substâncias para os habituais testes à urina.

Substância
Na urina
Álcool 6-24 h
Anfetaminas 1-4 dias
Barbitúricos 1-21 dias
Benzodiazepinas 1-42 dias
Cannabis (uso semanal) 3 a 9 dias
Cannabis (consumo diário) 7 a 30 dias
Cocaína 4-5 dias
Codeína/Morfina 2-4 dias
Cogumelos 1-3 dias
Ecstasy 1-3 dias; 3-5 dias (consumo habitual)
GHB 12-24 h
Heroína 1- 4 dias
LSD 24-72 h
Ketamina 2-4 dias

E se nao tomar-mos nada não

E se nao tomar-mos nada não acusa nada.
Pois é melhor essas merdas só fazem mal a saúde e provocam alucinações e um bem estar duvidoso.
Portanto pessoal nao ingiram destas merdas por que só enche os bolsos aos grandes traficantes, aos estados com a cumplicidade das bufaria.
tabaco também fazem mal a saúde e bebidas alcoolicas em consumo moderado.
e este governo também fazm mal a saude
fora com ele!!!

Eu ando a tomar aquelas

Eu ando a tomar aquelas merdas das smart shops. Também acusa?

Atenção- Se levarei o mijo de

Atenção- Se levarei o mijo de um amigo careta para meter no frasquinho da empresa levem sempre de um amigo do mesmo sexo. E nunca se esqueçam de aquecer o frasquinho. Quem recolhe o frasquinho a primeira coisa que vai tentar perceber é se a urina está quente ou se foi transportada de fora e está fria. Portanto aquecer até ficar à temperatura corporal é fundamental. Pode rolar-se o frasco entre as mãos, colocar no sovaco cinco minutos. O isqueiro não convém porque estraga o mijo. Mas com cautela pode ajudar.

Devem ser exigir a vossa privacidade. Exigir mijar no recato do WC. Dizer que não conseguem urinar à vista que é um trauma de infancia e exigir falar com a médica e insistir que tem mesmo o trauma não são capazes etc etc etc.

Fico curioso. Urinou à vista ou no recato do wc a amiga que iniciou esta discussão?

Na casa de banho, sem

Na casa de banho, sem observadores.

Fazer queixa nos serviços

Fazer queixa nos serviços estado (em Portugal) é meio caminho que passem ao jogo do empurra "não é connosco".
Esta situações verificam-se por que os trabalhadores ou povo são muito pacificos e deixam andar.
Era de fazer uma campanha de denuncia dessa empresa perto do local ond está instalada.

Difamação

Frequentemente as pessoas não fazem nada nestas situações por receio de perder ou não conseguir o emprego, o qual a maioria das vezes é precário.

Não me parece que uma campanha de denúncia perto do local seja aconselhável, a não ser que se queira dar de bandeja à empresa a identificação dos denunciantes. Uma denúncia mal feita poderia facilmente ser acusada de difamação, e os seus participantes criminalizados.

Pode sim dar problemas. A

Pode sim dar problemas. A fazer algo de público é necessário ter a certeza que houve ilegalidade. Ora parece que não houve. A lei permite que se faça este tipo de coisas alegando questões de segurança do próprio ou dos outros trabalhadores. O problema é que a lei permite que isto seja feito desde que haja um exame médico. Foi o que aconteceu aqui. É colher sangue permite hoje em dia saber imensas coisas. Mas a lei permite. O candidato a emprego não faz a mínima ideia das análises que lhe fazem. É triste mas é assim. E o mais triste é que quase toda a gente concorda com isso e ninguém se preocupa com esta invasão à dignidade da pessoa. É a mania da prevenção e da segurança a peste do nosso tempo.

Pois... Obrigada.

Pois... Obrigada.

qUAL E A EMPRESA???? ENTAO O

qUAL E A EMPRESA????

ENTAO O QUE QUE SE DEVE FAZER NESTES CASOS.
TENS ALGUMA IDEIA?

Olá. Eu se fosse a ti faria

Olá. Eu se fosse a ti faria queixa mas sobre anonimato. Como sabes em Portugal as coisas circulam muito e as Inspecções Gerais de Trabalho não são de fiar. Às vezes os patrões são avisados de inspecções e provavelmente a fonte está nesses serviços.

Um mail anónimo até para o provedor serve. E ele é dos poucos que investiga quer dizer pelo menos pede informações à empresa.

De qualquer forma tem em atenção que o facto de a médica ter estado presente de certa forma dá cobertura legal ao sucedido. A empresa pode sempre alegar as excepções que a lei refere. Invocar que estava em causa a segurança ou qualquer coisa.

Se é uma grande empresa eles normalmente agem com cobertura legal. Dai o estar a médica e a enfermeira. Se não estivessem era claramente ilegal estando não sei. Podem evocar excepções da lei. As multinacionais normalmente tem serviços que são inatacáveis em termos legais

Essa da gravidez não sei. Não sou jurista. Se calhar isso não podem mas como era um serviço de Saúde Ocupacional com médica e enfermeira poderá dar cobertura legal ao sucedido junto com as excepções à lei.

Uma coisa que eles não podem é divulgar dados sobre ti. A médica está obrigada a segredo profissional e está obrigada a guardar os dados. Segundo a legislação actual o médico de trabalho apenas informa o patrão se o trabalhador está apto ou não apto a desempenhar as funções.

Mais nada. Não pode dar mais nenhumas informações sobre a saúde ou doença do trabalhador. Se der viola o segredo profissional a que está obrigada em termos do Código Deontológico e pode ser sancionada pela Ordem dos Médicos. A guarda em sigilo dos dados recolhidos é também da responsabilidade da médica podendo a Comissão Nacional de Protecção de Dados investigar à mínima suspeita.

Sobre isto não tenho dúvidas. O resultado do teu chichi (e o resto) não pode ser do conhecimento do patrão nem pode ser divulgado cá fora.

Não te exponhas muito. As multinacionais são poderosas. Tem muitos advogados e muitos amigos. É um conselho.

Violação do sigilo profissional

Obrigada pela ajuda.

No entanto o sigilo profissional por vezes deve ser violado, senão como acontecem os casos de descriminação profissional de seropositivos, e outros, de que se houve falar? Falo dos seropositivos porque é uma questão permanente, não se deixa de ser seropositivo, mas claro que um trabalhador doente mais facilmente é despedido. Para além das doenças existem outros factores para despedimento por descriminação.

Isto das drogas parece-me descabido, mas faz muito sentido em termos de repressão e controlo social. Cada dia inventam-se mais drogas, a questão é a sua legalidade ou ilegalidade. Se o trabalhador fosse alvo de uma medida destas na sequência de algo no local de trabalho... Mas neste caso a pessoa ainda nem é trabalhadora, é preventivo.
Muitos trabalham sob o efeito de drogas, e assim são mais produtivos. Mas isto tem que ser visto pelo lado legal, se alguma coisa acontecer no local de trabalho não será a empresa capaz de culpar o trabalhador e dizer que aquele estava sob o efeito de substâncias, tendo como prova os testes...? Depois depende de quais, se legais ou ilegais, se prescritas por médico, etc...

Ou seja, mais maneiras de reprimir os trabalhadores.

Realmente o controle social

Realmente o controle social sobre todos tem aumentado. São os direitos, liberdades e garantias a diminuir sempre (desde o 11 de Setembro é assim) Quem ler com atenção o articulado legal percebe que sendo proibido se se justificar por questões de segurança do trabalhador ou dos outros trabalhadores então já se pode fazer tudo desde que fundamentado e por escrito. Tal qual está lá. AS EXCEPÇÕES topam?

Denunciar pode-se sempre. Um mail anónimo um falso nome e manda-se ao provedor, aos sindicatos, aos jornais enfim para todo o lado. Mas duvido que no caso apresentado haja ilegalidade. A pessoas esteve em consulta médica para todos os efeitos, foi colhido sangue e urina pela enfermeira e o questionário foi para o médico presumo.

A questão da gravidez só foi perguntada do que percebi. A lei não diz que é proibido perguntar só diz que não se podem fazer testes. É diferente. Acho que uma queixa dará em nada neste caso.

Quanto á divulgação pelo médico não sei. A maioria da classe ainda preserva o sigilo profissional. E se houver uma queixa da quebra do mesmo a Ordem dos Médicos condena e pune. Já o fez. Mas até o Código Deontológico dos Médicos mudou em certos casos (não neste) o segredo já não é o que era.

Por exemplo a nova legislação das cartas de condução obriga o médico a denunciar os casos de dependência alcoolica. Topam. Pois é o mundo mudou. Para pior.

A pergunta da gravidez era

A pergunta da gravidez era Está grávida? Sim ou não, não me recordo ao certo se pedia para especificar quantos meses em caso de resposta afirmativa, tenho ideia que sim.
Obrgd pla ajuda.

Como resulta da leitura dos

Como resulta da leitura dos artigos 19.º e 20.º do Código do Trabalho o empregador não pode exigir a candidato a emprego a realização ou apresentação de testes médicos de qualquer natureza salvo em circunstâncias especiais. De qualquer forma esse pedido a existir tem de ser devidamente fundamentado.
Foi fornecida informação escrita sobre a necessidade desse chichi? Se não foi houve ilegalidade. Queixa-te.
Esse tipo de informações sobre a saúde só pode ser fornecido a um médico. Esteve algum médico contigo? Se não esteve esse pedido é ilegal. Queixa-te.
Queixa-te. Não custa enviar um mail para a Inspecção Geral do Trabalho, para o Sindicato do sector ou mesmo para o Provedor de Justiça. Pelo menos incomodas os tipos e pode ser que começem a ter mais cuidado. Isso acontece assim porque as queixas são poucas.
Fica abaixo o articulado legal em que me baseio para te dizer isto.

CÓDIGO DO TRABALHO em vigor desde 2009 (Atualizado em 2012) - Lei n.º 7/2009 de 12 de fevereiro

Artigo 19.º - Testes e exames médicos
1 — Para além das situações previstas em legislação relativa a segurança e saúde no trabalho, o empregador não pode, para efeitos de admissão ou permanência no emprego, exigir a candidato a emprego ou a trabalhador a realização ou apresentação de testes ou exames médicos, de qualquer natureza, para comprovação das condições físicas ou psíquicas, salvo quando estes tenham por finalidade a protecção e segurança do trabalhador ou de terceiros, ou quando particulares exigências inerentes à actividade o justifiquem, devendo em qualquer caso ser fornecida por escrito ao candidato a emprego ou trabalhador a respectiva fundamentação.
2 — O empregador não pode, em circunstância alguma, exigir a candidata a emprego ou a trabalhadora a realização ou apresentação de testes ou exames de gravidez.
3 — O médico responsável pelos testes e exames médicos só pode comunicar ao empregador se o trabalhador está ou não apto para desempenhar a actividade.
4 — Constitui contra-ordenação muito grave a violação do disposto nos n.os 1 ou 2.

Artigo 17.º - Protecção de dados pessoais

1 — O empregador não pode exigir a candidato a emprego ou a trabalhador que preste informações relativas:
a) À sua vida privada, salvo quando estas sejam estritamente necessárias e relevantes para avaliar da respectiva aptidão no que respeita à execução do contrato de trabalho e seja fornecida por escrito a respectiva fundamentação;
b) À sua saúde ou estado de gravidez, salvo quando particulares exigências inerentes à natureza da actividade profissional o justifiquem e seja fornecida por escrito a respectiva fundamentação.
2 — As informações previstas na alínea b) do número anterior são prestadas a médico, que só pode comunicar ao empregador se o trabalhador está ou não apto a desempenhar a actividade.
3 — O candidato a emprego ou o trabalhador que haja fornecido informações de índole pessoal goza do direito ao controlo dos respectivos dados pessoais, podendo tomar conhecimento do seu teor e dos fins a que se destinam, bem como exigir a sua rectificação e actualização.
4 — Os ficheiros e acessos informáticos utilizados pelo empregador para tratamento de dados pessoais do candidato a emprego ou trabalhador ficam sujeitos à legislação em vigor relativa à protecção de dados pessoais.
5 — Constitui contra-ordenação muito grave a violação do disposto nos n.os 1 ou 2.

Mas se a contratação não se

Mas se a contratação não se concretiza, não estará aí ainda mais ilegalidade(s)? O realizar análises a uma pessoa que nem sequer é seleccionada?

A lei diz candidato a

A lei diz candidato a emprego ou trabalhador. Podem ir todos à mijinha a qualquer momento. Serve para entrarem e também para saírem corridos.

Discriminação de micção

Há praí 2 anos ouvi falar destes testes, isto já está generalizado? A maioria das empresas pedem estes testes ou como funciona?

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas
PublicarMelodias