Desempregados e precários atingem já os três milhões

Os precários e os desempregados em Portugal são 2,989 milhões, revelou, esta terça-feira, a Associação contra a Precariedade - Precários Inflexíveis, na escadaria da Assembleia da República, com base em dados do quarto trimestre de 2012.

Segundo a Associação contra a Precariedade - Precários Inflexíveis (ACP-PI), desde o começo da intervenção da troika em Portugal que o cenário se tem agravado e, neste momento, 54% da população activa estão sem trabalho, não constam nas listas dos centros de emprego mesmo estando desempregados, são subcontratados ou têm ligações precárias às entidades contratantes.

Ana Feijão, activista da ACP, estimou que "19 mil pessoas perderam os seus postos de trabalho, em média, por cada mês, desde a chegada da troika".

"Este é o cenário que considerámos ser importante os senhores da troika conhecerem, num momento em que se preparam para a sétima avaliação do plano de austeridade", explicou.

"No último ano não só desapareceram postos de trabalho, como não se reabilitou a economia. Além de se registar uma acentuada diminuição do valor do salário direto", acrescentou, à margem daquela acção no Parlamento, que também serviu de apoio às manifestações agendadas para o dia 2 de março em vários pontos do país.

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas
PublicarMelodias