Acerca do despejo da okupa "Albatross"

No dia 5 de Abril, a polícia liderada pelas unidades especiais #OPKE despejaram uma casa em Ano Poli, #Thessaloniki. 13 Pessoas foram presas e levadas para a esquadra da polícia em #Monastiriou, sob a ameaça de armas de fogo.

Os #ACAB recusaram que as pessoas presas contactassem advogados e tradutores por 5 horas. 9 Pessoas que vieram em solidariedade com as pessoas detidas foram também presas e mantidas durante 3 horas para controlos de identidade. Um deles sofre agora acusações “de resistência” depois de ter sido agredido pela polícia.

Durante o dia, duas pessoas foram transferidas para o hospital: uma com fortes concussões na cabeça depois de ter sido agredida pela polícia (a violência física e psicológica da policia continuou dentro das paredes do hospital); a outra pessoa por problemas de saúde, a polícia recusou durante horas a libertação para ir a uma consulta médica nesse mesmo dia e recusou facilitar a medicação que necessitava. Depois de 32 horas, apenas 12 pessoas foram libertadas antes de julgamento. Um ficou preso por não ter documentos. Está pessoa poderá ir presa até seis meses apenas pela falta de documentos, também como as outras pessoas, está acusada de okupar e danificar propriedade privada.

Ao longo do tempo, #Albatros foi a casa para várias pessoas. As suas nacionalidades não interessam. Viveram juntxs, lutaram juntxs contra a opressão da sociedade que quer que estejamos em desigualdades e dividos. Lutamos contra o racismo ao construir pontes baseadas na afinidade e o interesse comum, em vez das estupidas categorias que são “nações” “raças” e “culturas”.

Lutamos contra a opressão do estado-policial e o seu sistema de fronteiras e papeis. Recusamos a sua autoridade como qualquer outro tipo de poder. Albatross não era uma okupa para imigrantes, aberta por europeus a casa foi aberta por pessoas com e sem estatuto “legal” na Grécia.

Esta casa foi feita para viver sem dinheiro, ao usar materiais encontrados na rua e no lixo. Fizemos isto porque queremos mostrar que nesta sociedade as pessoas não precisam de ser pobres (como dizem os governos), pelo contrário, este sistema está a criar toneladas de “lixo” por um lado, enquanto pelo outro lado deixa pessoas a morrer de fome. Sem dinheiro, hierarquia ou um estatuto “legal”, uma casa deixada ao abandono para cair em ruinas, foi transformada numa casa para pessoas livres se auto-organizarem.

Albatros foi a resposta às motivações políticas que levaram ao despejo de três okupas no verão de 2016 em Thessaloniki, que deixaram muita gente sem teto. O despejo da nossa casa, é também uma decisão política, considerando o contexto de repressão contra a ocupação (especialmente as “okupas de imigrantes”).

A repressão não vai parar a nossa luta. Podem tirar-nos a casa e podem tentar tirar-nos a liberdade, mas não vão conseguir silenciar-nos nem impedir a nossa luta contra o fascismo, racismo e todo o tipo de violência ou injustiça.

Chamamos toda a gente interessada em mostrar solidariedade, para dia 11 e 12 de Abril no tribunal de Thessaloniki

Nem pessoas sem casa, nem casas sem pessoas
Nenhuma casa na mão dos capitalistas! |

Via | Enough is Enough

Guilhotina.info

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas