a C.O.S.A. FICA!! (Concentração no Tribunal de Setúbal)

a C.O.S.A. FICA!! (Concentração no Tribunal de Setúbal) às 9 da manhã de 2 de Junho.
Palácio da Justiça, R. Cláudio Lagrange, 2900-504 Setúbal

1 despejo = 1000 Ocupações!!!

Para mim a COSA é
O acordar sem receio
Com o barulho e agitação
Das crianças no recreio
A COSA é…
Comprar ao virar da esquina
Pão quentinho ao pequeno-almoço
Molhacas e boa companhia, ânsias do que trará o dia
E um grande alvoroço
A COSA é..
Ter como despertador
O ruído sistemático
Da oficina mesmo ao lado
E o seu barulho pneumático
A COSA é…
De manhã cedo, ir reciclar
Ao mercado do Livramento.
Dizer bom dia e boa tarde
A meia cidade pela frente
A COSA é…
Barricar desbarricar,
Janelas portas e portões.
Nem sempre preparados, mas prontos! ,
Para o que der, vier e ainda o depois.
É conviver e sonhar
E preparar as ferramentas,
Para construir e destruir
E apoiar resistências.
Noites até de madrugada,
De discórdia e rebelião
De conversa partilhada,
De loucura na exaustão
São noites mal dormidas,
Madrugadas de explosão
E tardes de cabeça perdida,
À procura de solução.
É passear no bairro á noite,
E sentir que a cidade nos pertence
Onde o medo não existe,só o desafio te inspira
E te torna mais resistente.
É receber companheiros
Conhecidos e desconhecidos
Que viajaram mundos inteiros,
Para partilhar frutos colhidos
E partilhas tu com eles,
Esta casa abandonada
Que de abandono tem pouco,azulejos velhos e um reboco
Que respira água salgada.
E por vezes o arrepio
De uma rua embelezada,
Com o cheiro e o rodopio
De uma bela sardinhada.
Onde se ouve o velho fantasma
Se ficarem bem calados,
Do vazio que nos guarda,
Uma fábrica de enlatados.
A COSA é…
Os azulejos incompletos,
Dum corredor com história,
Vizinhança unida, uns dias mais que os outros
Nossa querida Vitória.
É receber pela manhã
Cartas e postais,
Dos mais variados cantos
Companheiros e locais.
É a água canalizada,
Fodasse!, Foi outra vez cortada
Não faz mal..vamos á fonte,
Lá vai mais uma caminhada
A nossa COSA é isto…
É isto e muito mais,
É muita contestação, amor & luta nas prisões
E burburinho nos jornais
É lugar para investir
E aprender com a lição,
Partilhar e resistir
Porqué sinónimo de rebelião.
Esta COSA é e foi
O fermento de muito pão,
Um espaço físico que possibilitou
muita conversa e ilusão.
Onde muitos desses sonhos
Se tornaram bem reais
Espalhou amor e ódio
Por pintadas e murais
Fez sardinhadas e grelhadas
A instigar a mudança
Fosse no pátio ou na calçada
A convidar a vizinhança
É uma casa velha
E vive cheia de memórias
Que não te deixa indiferente
Muitas raivas e vitórias
E é isto tudo e muito mais,
Porque é um lugar diferente.
No coração do bairro salgado,
Dá-lhe uma alma irreverente.
Da sua fonte das conchas,
Sempre brotou solidariedade,
Muitos estranhos abrigou,
Por pura boa vontade.
Porque lutámos para manter,
À velhice conseguiu subsistir,
Com força rebelde e consciente,
ESTA COSA VAI RESISTIR!!
Uma daninha entre a calçada,
Resiste e vai durar,
17 anos vividos,mais uns 100 virão seguidos
Nas memórias de quem cá ficar!

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas