"A Fábrica de Nada", um grande filme de Pedro Pinho, premiado em Cannes

"A Fábrica de Nada", um grande filme de Pedro Pinho, premiado em Cannes no final da semana passada pela Crítica Internacional é interpretado por atores e não atores, e segue a vida de um grupo de operários que tentam manter os postos de trabalho, através de uma solução de auto-gestão coletiva, e evitar, assim, o encerramento da fábrica.

Pedro Pinho assina a realização, mas o filme de ficção foi construído em conjunto com Luísa Homem, Leonor Noivo e Tiago Hespanha, a partir de uma ideia de Jorge Silva Melo e da peça de teatro 'A fábrica de nada', de Judith Herzberg e por ele encenada.

Aquando da partida para Cannes, Pedro Pinho explicou à agência Lusa que o filme não tem uma linha narrativa simples sobre os operários que veem a fábrica fechar. Houve uma intenção coletiva de criar várias camadas de leitura que dão outra profundidade ao filme e que espelham a realidade, a crise económica, o papel da Europa e a importância do trabalho. O filme vai estrear nas salas portuguesas durante o verão.

Uma boa síntese do filme (em castelhano): http://www.elamante.com/notas/cannibalismos-2017-10/

através de Portal Anarquista

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas