Membro de associação policial defende que a polícia deve estar acima da lei

Em entrevista aos meios de comunicação, António Ramos representante da associação SPP - Sindicato de Profissionais da Polícia, veio a público confirmar o apoio desta organização aos criminosos da esquadra de Alfragide, indicando que a actuação foi correcta. E acrescentou «Para repor uma ordem pública, há sempre os excessos» e «Se deixassem trabalhar a Polícia de Segurança Pública, como trabalhava há uns anos atrás, bastava só oito dias e a Polícia de Segurança Pública metia este país, metia os criminosos todos em linha». Claramente a ideia é que a polícia deve estar acima da lei e torturar, humilhar, insultar e agredir com total impunidade. Para quem ainda tem dúvidas das posições dos ACAB em relação aos criminosos a direcção da PSP declarou que «o policiamento de proximidade existente tem respondido aos objectivos, podendo ser ajustado pontualmente.»

O ajustamento foi claramente demonstrado ontem, tal como noticiado, com uma operação de clara intimidação e demonstração de força contra quem mora na Cova da Moura. Uma população que já indicou inúmeras vezes que vive sob o jugo e terror das intervenções policias, como foi o caso relatado em 2015, em que membros da polícia insultaram a população local e apedrejaram janelas de residências, num acto de vandalismo injustificado. E também dos 15 jovens do bairro assassinados pela polícia até 2013, com os assassinos a continuarem em funções e em liberdade.

Desta vez os criminosos vão a tribunal e as falsificações produzidas pelos polícias, e propagadas pelos meios de comunicação, foram arquivadas, mas estamos longe de ter justiça. Para já a PSP está a arrastar os pés e ainda não suspendem os 18 criminosos. E é difícil acreditar que os tribunais do sistema capitalista actuem seriamente, contra quem ajuda a manter este sistema injusto e imoral no poder. É duvidável que as penas, caso existam, sejam próximas da justiça de um tribunal nas mãos do Povo.

Fonte

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas