Repressão do Estado Espanhol contra referendo de independência catalã

Nos dias que antecedem o referendo de 1 de Outubro, que irá colocar ao voto a questão da independência catalã, o aparelho repressivo do Estado Espanhol entrou em acção para criar disrupção.
- A Guarda Civil invadiu o espaço de hospedagem do servidor do referendo, tirando o site do ar | http://bit.ly/2xnQ5Nf
- O Tribunal Superior de Justiça da Catalunha, sob ordens do Tribunal Constitucional, diz aos directores da TV3 e Rádio Catalunha que não podem informar sobre a preparação do refendo | http://bit.ly/2jt5Lcv
- Polícia impede a CUP (Candidatura de Unidade Popular), pro-independência, de levar a cabo acções públicas de divulgação e identifica participantes, incluíndo duas deputadas | http://bit.ly/2wZPYHH
- Acções de apoio ou divulgação fora da Catalunha são impedidas por ordem judicial, como sucedeu em Madrid | http://bit.ly/2eY51ah
- Aberto processo em tribunal ao Director de jornal El Vallenc por apoio ao referendo. Polícia entrou nas instalações do jornal, presumivelmente à procura de boletins de voto que lá pudessem ter sido impressos | http://bit.ly/2wsKJfv
- Ministério Público abre investigação a 712 dirigentes municipais por terem disponibilizado condições para realizar o referendo e dá ordens à polícia para deter todos os que não se apresentarem | http://bit.ly/2xkr1Xi
- Polícia leva a cabo acções nocturnas em várias cidades para fazer identificações e detenções de pessoas que levam a cabo trabalho de divulgação do referendo ou confiscar material relacionado com o referendo | http://bit.ly/2x7kWNf | http://bit.ly/2vYRyWC | http://bit.ly/2vYZaZi

Via Guilhotina.Info

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas