Apelo para a libertação dos 7 prisioneiros saharauis

Apelo para a libertação dos sete prisioneiros saharauis activistas dos direitos humanos
( assinatura pública do apelo feito por Eduardo Galeano)

No passado dia 8 de Outubro, sete activistas de direitos humanos saharauis foram detidos pela polícia marroquina, em Casablanca, quando regressavam de uma visita aos acampamentos de refugiados saharauis em Tinduf (Argélia). A detenção foi ordenada sob a acusação de traição à pátria e de atentado contra a soberania e integridade territorial de Marrocos, ao serviço de outro país. Nos últimos 20 anos, esta é a primeira vez que activistas Saharauis enfrentaram um Julgamento em Tribunal Militar, que poderá aplicar a pena capital. Estas prisões inscrevem-se numa longa lista de violações dos direitos humanos, perpetradas pelo Reino de Marrocos contra a população Saharaui que,importa não esquecer, vive sob ocupação há mais de 35 anos.

Os sete activistas dos direitos humanos saharauis são:

*Ali Salem Tamek, Secretário-geral do Colectivo de Defensores Saharauisdos Direitos Humanos (CODESA);

*Brahim Dahan, Presidente da Associação Saharaui de Vítimas de GravesViolações dos Direitos Humanos (ASVDH);

*Rachid Sghaïr, Activista do Comité Contra a Tortura de Dajla,

*Nassiri Hamadi, Secretário-Geral do Comité Saharaui para a Defesa dosDireitos Humanos em Smara e presidente da AMDH secção Smara Chapter;

*Yehdih Terruzi, Membro da Associação Marroquina dos Direitos Humanos(AMDH), secção El Aaiún; *Saleh Loubeihi*, presidente do Fórum para a Protecção da Infância Saharaui,membro da CODESA e da AMDH;

*Degja Lechgar, activista e dirigente da ASVDH.

Segundo informações veiculadas pela Associação de Familiares de Presos e Desaparecidos Saharauis (AFAPREDESA) o estado de saúde físico e psíquico da senhora Degya Lechgar e dos seus companheiros tem-se agravado devido à falta de cuidados médicos e à sua situação, já de si grave, atendendo às sequelas de anos de encarceramento anterior e de desaparecimento forçado que sofreram.

Os familiares dos 7 sequestrados também estão a sofrer a repressão e o abuso das autoridades de ocupação marroquinas, como é o caso de Salka Dahane, irmã de Brahim Dahane, mãe de 8 filhos que, a 23 de Outubro, foi detida sob o pretexto de levar consigo 500 dirhams (equivalente a 50 €) no momento em que ia visitar o seu irmão Brahim Dahane. Foi posteriormente condenada a 2 meses de prisão, pena que foi comutada a um mês, após interposição de apelo.

Pedimos que façam tudo o que for possível para denunciar esta preocupante situação.

Subscreva o apelo do grande escritor e intelectual uruguaio Eduardo Galeano a favor da libertação dos sete prisioneiros saharauis:
http://www.afapredesa.org/www/english/form2/galeano.html

Apelo divulgado pela Associação de Amizade Portugal – Sahara Ocidental

Consultar ainda:

http://www.afapredesa.org/

http://www.es.amnesty.org/actua/acciones/sahara-presos-conciencia

http://www.arso.org/

http://asvdh.net/3740

http://www.cppc.pt/