Mais 3 membros da polícia da Amadora acusados de agressão e falsificação de acontecimentos

Guilhotina.Info

A agressão teve lugar junto à sala de testemunhas do Tribunal da Amadora, em que um dos membros da PSP ficou enraivecido e violento, sem razão aparente, e juntamente com mais dois membros do mesmo gangue decidiram atacar a vítima. Aparentemente o acesso de raiva terá sido iniciado por a vítima ter olhado na direcção geral de um dos agressores, os restantes membros da polícia decidiram juntar-se ou por aborrecimento ou por colaboração de matilha para atacar vítimas indefesas. A situação irá a julgamento, depois de já tem sido verificados os factos e de se ter mostrado que os agressores mentiram nos seus relatórios dos eventos, ao indicarem que teriam sido injuriados, o que foi desmentido por todas as testemunhas no local. O Ministério Público pede a suspensão de funções dos agressores, a direcção nacional da PSP declarou que não comentava os acontecimentos. Um dos agressores pertenceu à esquadra de Alfragide, onde 18 dos seus comparsas estão acusados de tortura, rapto e agressões.

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas