Faleceu José Hipólito Santos (1932-2017)

A José Hipólito Santos (Porto, 1932) recordamos a acção e o muito que nos deixou, pela sua dedicação ao que "definiu como “Dever de Memória”, iniciado com a publicação de Maneiras Cooperativas de Pensar e Agir, Edições Universitárias Lusófonas, 2009, Felizmente Houve a Luar, Âncora, 2011, Revolta de Beja, Âncora Editora, 2012. Nestas obras concretiza esse preceito, desvendando aspectos da História contemporânea a que esteve intimamente ligado.

Nos anos 50 envolve-se no movimento cooperativo, colabora na campanha de Humberto Delgado e associa-se ao Movimento da Sé. Nos anos 60, participa na Revolta de Beja, tendo passado 18 meses na prisão, exilando-se em França de onde seguiria para a Argélia, depois de libertado sob caução. Ali, participa na organização do MAR.

Em 1967 ruma a França, participa no Maio de 68 e integra a direcção da LUAR, que vem a deixar em 1970. Após a queda da ditadura é reintegrado na CUF e participa activamente nos movimentos de moradores, integrando a Associação dos Inquilinos Lisbonenses da qual viria a ser Presidente.

Adere ao PRP-BR, cuja direcção passa a integrar no ano seguinte e donde se demite no início de 1978.

Nos anos 80 funda a cooperativa SEIES e trabalha em projectos de cooperação em Moçambique, Nicarágua e Guiné-Bissau."

Sobre o livro de José Hipólito Santos , “Sem mestres, nem chefes, o povo tomou a rua…”: http://www.jornalmapa.pt/2015/04/22/sem-mestres-nem-chefes/

Entrevista a José Hipólito Santos ao Dia´rio Liberdade em 2013: https://www.diarioliberdade.org/entrevistas/batalha-de-ideias/40182-entr...

via
Jornal Mapa
Jornal Mapa

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas