[Estado Espanhol] Comunicado para a liberdade de Rodrigo Lanza.

De diferentes companheiras e amigas de Rodrigo Lanza, unidas por ideias antifascistas, queremos divulgar uma declaração pública sobre os recentes acontecimentos que levaram o nosso companheiro a entrar na prisão.

Depois de dias de bombardeio na mídia, com informações falsas e não contrastadas, com o interesse intencional de obter uma sentença pública antes da declaração das partes, hoje [14/12] finalmente encontramos a versão de Rodrigo e de outras testemunhas.

A primeira “verdade oficial” construiu uma versão que pouco se encaixa nos eventos que aconteceram na madrugada de 8 de dezembro, colocando Victor Laínez como uma vítima passiva de ódio à bandeira espanhola e Rodrigo Lanza como agressor armado, atuando com premeditação, pelas costas e em grupo.

Naquela noite, o nosso companheiro defendeu a sua vida contra uma agressão fascista com uma arma branca, ele defendeu-se com o seu corpo, sem usar qualquer barra de ferro ou assento de bicicleta.

Victor Laínez, é membro da extrema-direita de Aragão, relacionado tanto a neonazis conhecidos como com a Falange Espanhola dos Jons, que o reconhecem como membro da sua organização e dizem publicamente: “Que todos saibam que, se a Falange Vasconavarra tiver que escolher entre os exemplos heroicos de Victor Lainez e Josué Estébanez, ambos estamos felizes, mas vamos optar por Josué. Antes prisão do que o cemitério". Lembremos que Joshua Estébanez de la Hija é um militar e neonazi que há dez anos matou o antifascista Carlos Palomino, de 16 anos, apunhalando-o no peito.

Nós temos evidências da sua participação em eventos violentos no passado (como no ataque realizado em conjunto com neonazis no bar “Barrio Latino” há mais de 20 anos) e de toda a sua trajetória no movimento Falangista. Victor Laínez não era um “patriota bondoso”, um cidadão comum que amava o seu país; ele era um fascista com uma atitude ativa e abertamente racista.

Na noite dos factos, depois de insultar Rodrigo (sul-americano e de estética punk), dizendo-lhe “sudaka de merda, volta para o teu país”, seguiu Rodrigo e, quando saiu do bar, Victor Laínez pegou numa navalha e tentou esfaqueá-lo repetidas vezes. Desta vez sim, pelas costas mas, felizmente, Rodrigo, avisado por uma das testemunhas, virou-se e conseguiu repelir o ataque, batendo em Victor Lainez e deixando o local.

Graças a este legítimo exercício de autodefesa, Rodrigo ainda está vivo, o que estamos felizes, já que em outras ocasiões não podemos dizer o mesmo.

Precisamos lembrar o número de assassinatos políticos realizados pelos membros da extrema-direita no Estado espanhol nos últimos 30 anos, bem como o aumento atual das agressões nacionalistas. Há um conflito entre o fascismo e aqueles que lutam contra ele, que não é nada novo neste Estado ou fora dele. O surgimento da extrema-direita é uma realidade muito palpável em todo o mundo.

O clima político atual que vivemos no Estado espanhol não poderia ser mais desfavorável, devido ao conflito nacionalista pela autodeterminação da Catalunha. Este caso foi obviamente usado para interesses partidários e eleitorais com a cumplicidade da imprensa, exaltando o orgulho nacional e apontando como inimigo social o movimento okupa e os migrantes em geral.

Por outro lado, é claro que existe uma nítida intenção de aproveitar o que ocorreu politicamente para pôr em dúvida a versão da montagem policial do 4F, pela qual Rodrigo cumpriu 5 anos de prisão.

Gostaríamos de agradecer às pessoas pelo seu apoio e solidariedade e reiteramos que a luta por uma sociedade mais justa continua.

Liberdade para Rodrigo Lanza!

Companheiras e amigas de Rodrigo Lanza

Fote:
https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/12/17/espanha-comunica...

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas