#womenriseupforafrin Apelo Urgente á divulgação e participação. Afrin não será silenciada!

Concentração dia 03 de Março no Largo Jean Monnet, ás 16h em Lisboa contra a agressão Turca a Afrin. Chamamos a todxs xs activistas que se opõem à agressão imperialista e ao fascismo internacional para que façam presença nesta concentração de protesto contra a agressão militar Turca ao cantão Curdo de Afrin, iniciada pelo estado Turco no passado dia 18 de Janeiro de 2018, e prosseguida até ao dia de hoje mediante bombardeamentos de aviação e de artilharia, e pela coordenação e apoio a grupos jihadistas salafistas armados no terreno; apoiados com treino, armamento e financiamento.

Casos de execuções e torturas bárbaras foram já identificados em zonas ocupadas pelas forças invasoras Turcas nas províncias de Afrin, este ataque que é responsável por uma situação humanitária e ambientalmente devastadora na região, estimando-se que mais de 25.000 pessoas tenham sido forçadas a escapar, tendo como único refúgio as montanhas. Os principais hospitais da zona estão a ficar com escassez de medicamentos e outros materiais necessários para apoiar as centenas de pessoas feridas. Até ao momento, o balanço aponta para pelo menos 150 pessoas mortas e 298 feridas.
A barragem de Maydanki, sofreu fortes danos e em caso de colapso causará enormes inundações a norte de Afrin.

A Turquia, que reúne o 2º maior exército da NATO e que foi nomeada recentemente como co-presidente para supervisionar o trabalho das ONGs de direitos humanos na ONU, avança com total impunidade a sua ocupação sobre o cantão Curdo de Afrin no Norte da Síria - contando com a cumplicidade e com o apoio das várias potências imperiais que jogam os seus interesses sobre o conflito na região (como os EUA, ou a RÚSSIA), o apoio dos estados europeus que beneficiam com a venda de armas à Turquia, (como a ALEMANHA e a GRÃ-BRETANHA), e o silêncio e deferimento dado pelas instituições internacionais globais (como a NATO, a UE e a ONU), às políticas internas e externas prosseguidas pelo AKP de extermínio das populações Curdas, seus aliados, e qualquer opositor do regime.

O ataque que tem como objectivo assumido pelo governo Turco a anexação do território Curdo de Afrin a uma redefinição das fronteiras e zonas de influência do Estado Turco no oriente médio e o extermínio das populações Curdas na região, visa adicionalmente terminar a proposta social posta em curso em Rojava por parte das várias populações que aí residem, e que se fundamenta na construção de uma democracia comunalista, federada, ecologista e seriamente comprometida com a libertação da mulher em relação aos mecanismos da violência cisheteropatriarcal do estado-nação. Uma tal proposta é uma ameaça directa ao projecto fascista e imperialista neo-otomano desenvolvido pela acção governativa de Erdogan e do AKP e seus aliados.

Afrin que havia conseguido viver com paz relativa no meio do conflito sírio desde o início da guerra civil, há 7 anos, tendo acolhido desde o início do mesmo ondas massivas de refugiadxs que fugiam a confrontos na região, precisa agora que mostremos a nossa solidariedade para com as nossas irmãs e irmaõs que lutam contra o fascismo, contra o imperialismo, e contra a violência patriarcal executada pelo Estado Turco sobre a sociedade de Afrin!
Por uma sociedade mais justa, democrática e ecológica!

Dia 03 de Março, Largo Jean Monnet, 16h! #riseupforafrin #defendafrin #afrinnotalone https://www.facebook.com/events/1691000797601814/

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas