[Direito à cidade] Saudamos e agradecemos a todos os que hoje preferiram não ficar em casa

Saudamos e agradecemos a todos os que hoje preferiram não ficar em casa, mesmo sob ameaça de chuva, e vieram desfilar por uma cidade mais justa; por mais habitação e menos especulação imobiliária.

Em média, cinco famílias portuguesas são despejadas por dia. Lugares emblemáticos do Porto como o “Buraquinho” ou o “Café Plaza”, os alfarrabistas João Soares e Moreira da Costa estão, neste momento, sob ameaça de despejo. Ao mesmo tempo, a cidade está a ser reconstruida, mas não é para quem constrói a cidade; não é para quem cá sempre viveu. O que está a acontecer é uma verdadeira substituição de pessoas e só cá fica quem pode pagar.

A concentração que hoje fizemos não é um fim em si mesmo. É antes o início de um processo de resistência que se quer constante e consequente. Portanto, apelamos a que se mobilizem, tragam até nós os vossos testemunhos e os vossos contributos, participem nos encontros abertos que promovemos.

Já daqui a menos de três semanas, teremos uma nova e importante acção. Participaremos nas celebrações populares do 25 de Abril, reclamando o nosso direito à habitação e à cidade. Mais informações serão publicadas em breve.

A cidade é das pessoas!

Fotos

Vídeo

Direito à cidade

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas