A deriva da Internacional Letrista: Para uma crítica radical do Urbanismo (1954-2017)

Mais de sessenta anos passados das derivas parisienses realizadas por um pequeno grupo de membros da Internacional Letrista, que resta desses locais e dessa cidade?

A Internacional Letrista, surgida em 1952, foi, nas palavras do seu principal fundador, Guy Debord, «a organização da esquerda letrista» proveniente do conflito com Isidore Isou, por quem, no entanto, Debord se teria sentido encantado um ano antes. A Internacional Letrista afirmava-se, a partir de então, como um «movimento novo que deveria levar rapidamente a uma reunificação da criação cultural vanguardista e da crítica revolucionária da sociedade». Evidenciava-se, assim, o espírito do grupo relativamente ao letrismo como uma rejeição da visão da arte separada da vida e uma afirmação da vontade de «superar a arte» realizando-a no quotidiano, nomeadamente através da prática da dérive.

Continuar a ler

Revista Punkto

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas