#AltPt #EuskalHerria Primeira Sessão do Julgamento Contra 8 jovens de Altsasu Acusados de “Terrorismo” a 375 anos de Prisão

Depois de um ano e quatro meses, começou ontem a primeira sessão do julgamento com a declaração de 8 jovens de #Altsasu, acusados por um delito de “terrorismo” na Audiência Nacional do Estado Espanhol. Os jovens negaram as acusações e rejeitaram relação alguma com o movimento social anti-repressivo e contra a ocupação militar em Euskal Herria chamado “Ospa!” (Fora!), na primeira vez que finalmente o seu relato foi ouvido num tribunal excepcional, longe da realidade navarra.

Os acontecimentos remontam ao dia 15 de Outubro de 2016 numa localidade de Nafarroa (uma das sete províncias de Euskal Herria) chamada Altsasu. A discussão começa dentro de um contexto de farra numa taberna, com dois Guardas Civis que estavam fora de serviço a altas horas da noite com os seus casais e acaba com um deles ferido no calcanhar e 8 jovens acusados por “terrorismo”. É assim que Ainara enfrenta uma pena de 12 anos e meio de prisão; Adur, Jokin, Iñaki, Julen, Aratz e Jonan de 50 anos; e Oihan de 62.

Além dos mais de 500 dias que Adur, Jokin e Oihan estão presos e dispersos a centenas de quilómetros de Euskal Herria, longe do seu círculo familiar, social e cultural em Extremera, Navalcarnero e Aranjuez. A dispersão não é uma política de excepção desconhecida a presas nem a famílias bascas. Do mesmo modo que tem consequências sociais, económicas e psicológicas, é preciso ressaltar o perigo de acidentes que lamentavelmente já sofreram os familiares de um deles de volta da visita de Aranjuez, em Junho do ano passado. Em relação à dispersão, um dos familiares relatou via twitter como é a viagem que têm de fazer, só para partilhar 40 minutos, cada semana, com os jovens presos.
https://bit.ly/2HqgWgW

Não é casualidade que dos 9.571 casos de confrontos com polícias ou guardas civis que aconteceram em 2016 segundo fontes do Ministério do Interior do Estado Espanhol, o único classificado como acto terrorista seja o de Altsasu.

Contra esta montagem policial criada durante este ano e quatro meses, recebeu-se apoio de diferentes personalidades e responsáveis públicos, profissionais, deputados e senadores de diferentes partidos, 52 europarlamentários e sobretudo do povo basco que condenou e mostrou-se solidário todo este tempo em mil e uma mobilizações com os jovens e familiares que esforçaram-se muito em fazer eco da situação, à procura de apoio social.
Imagem desta denúncia é a que deixou a manifestação do pasado sábado em Iruñea, (capital de Nafarroa) com 50.000 pessoas segundo as organizadoras, contra esta montagem exagerada, distorcida e desproporcional.

O julgamento recomeça amanhã com as declarações dos Guardas Civis e os seus casais.

Muntai polizialik ez! Altsasukoak aske!
Não à montagem policial! Liberdade aos de Altsasu!

* (Uma obra entitulada de “Presos políticos en la España contemporánea”, com fotografías pixeladas de presos o ex-presos como Arnaldo Otegi, os jovens de Altsasu ou Oriol Junqueras, foi censurada ontem na Feira de Arte Contemporânea ARCO) https://bit.ly/2J1YKrc
* https://bit.ly/2JSzGEn
* https://bit.ly/2qHeHLY

via Guilhotina.info

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas