Inauguração do Primeiro Espaço Livre de Apartheid Sionista, Racismo e Anti-semitismo

Inauguração do Primeiro Espaço Livre de Apartheid Sionista, Racismo e Anti-semitismo

CAMPANHA-SELO: Espaço livre de apartheid sionista, racismo e antisemitismo.

APRESENTAÇÃO:
A proposta de adesão ao selo constitui uma tomada de posição política solidária com o apelo da sociedade civil palestina ao Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS).

O movimento BDS nasceu em 2005 no seio da sociedade civil palestina com a publicação de um manifesto assinado por organizações sociais, ONGs, partidos e sindicatos tomando como referência a campanha internacional de boicote contra o apartheid sul-africano, que foi fundamental para acabar com aquele regime racista.

A sociedade civil internacional responde a este apelo lançado desde a Palestina para disseminar a campanha por todo o mundo envolvendo-nos numa solidariedade do género político que procura ir ao cerne do problema e combatê-lo. Assim, apoia a luta do povo palestino pelos seus direitos humanos e pelo direito à igualdade e à auto-determinação, exigindo:

- O fim da ocupação.
- O direito ao regresso das 7,5 milhões de refugiadas palestinas.
- A igualdade de direitos.

No campo económico, a campanha BDS é especialmente importante na Europa, dado os acordos sócio-comerciais com Israel.

Na Europa, as empresas produtoras, grossistas e importadoras têm a obrigação de informar o lugar de origem dos produtos. Muitas vezes, a etiqueta “fabricado em Israel” é utilizada, fraudulentamente, por produtoras e exportadoras israelitas para comercializar produtos fabricados ou cultivados nas colónias ilegais, dentro dos territórios palestinos ocupados.

Neste contexto, os espaços livres de apartheid sionista podem aderir e difundir as campanhas globais do movimento BDS, informar e combater as parcerias com instituições públicas israelitas e absterem-se de comercializar produtos israelitas.

O selo “Espaço Livre de Apartheid Sionista” é o rosto visível da solidariedade com o povo palestino. Sendo uma posição política que transcende a caridade e os remendos humanitários compromete-se num movimento global de defesa dos direitos humanos do povo palestino, que pressiona Israel para que respeite as leis internacionais mediante o boicote dos produtos israelitas e a denúncia das suas políticas de apartheid.

Os espaços, que quiserem aderir à campanha para se declararem livres de apartheid sionista, podem contactar o GAP para receber o selo e demonstrarem o seu compromisso com o respeito pelos direitos humanos, a igualdade entre todas e a auto-determinação dos povos.

Para aderir à campanha, receber o selo e promover uma sessão de abertura de um espaço livre de apartheid sionista, de racismo e de anti-semitismo escreve-nos para: accao [dot] palestina [em] gmail [dot] com

Primeiro espaço Livre de Apartheid Sionista em Portugal - Livraria de Mulheres "Confraria Vermelha" - Inauguração dia 12 de Maio de 2018 pela Shahi Wadi.

Grupo Acção Palestina

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas