Apelo ao boicote do bar Embaixada Lomográfica por agressões machistas

Escrevemos este comunicado como resposta colectiva às agressões
machistas perpetradas por Jorge Taveira (Bar Embaixada do Porto,
conhecido popularmente como Lomo). Têm sido várias as vozes que
assumiram a coragem de tornar visíveis publicamente as agressões,
entre as quais se incluem: assédio sexual, comentários homofóbicos,
violação e administração de drogas sem consentimento, com fins
abusivos, entre outras formas de violência.

Vivemos numa sociedade patriarcal que permite que muitas mulheres e
outros sujeitos oprimidos sejam vítimas de violência, de uma forma
sistémica. São muitas as ocasiões em que os sistemas judicial e
policial não prestam o apoio necessário, seguindo um processo
constante de culpabilização e questionamento das vítimas. Face a
isto, urge assumir uma resposta a estas agressões como parte de uma
responsabilidade política colectiva. Recusamo-nos a continuar a viver
com medo e a aceitar a violência sexual como inevitável. Recusamo-nos
a aceitar a impunidade dos agressores e a indiferença social face às
agressões machistas.

Nenhum espaço está isento de que nele ocorram agressões machistas,
tornando-se, por isso, necessário desenvolver ferramentas que possam
fazer frente a este tipo de situações, de maneira colectiva. Nesse
sentido, fazemos este comunicado para apelar ao boicote ao Bar Embaixada
do Porto, dirigindo-nos tanto a pessoas que o frequentam como a artistas
que com ele colaborem. Incentivamos a que estas informações sejam
espalhadas e não fiquem no esquecimento.

Mexeu com uma, mexeu com todas!

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas