Portugal // O furo de prospecção de Aljubarrota vai avançar e ninguém o sabe

Este artigo foi actualizado com novas informações, disponíveis no final do texto original, após a não-decisão da APA sobre o furo de Aljubarrota.

A empresa Australis Oil & Gas chegou a Portugal em 2015 e detém dois contratos – “Batalha” e “Pombal” – que prevêem a exploração por 8 anos de uma área de cerca de 2.500 km², abrangendo os distritos de Coimbra, Leiria e Santarém, em área emersa (o chamado onshore) do território do continente.

Mas esta não é uma história apenas sobre prospecção e extracção de gás e petróleo. É também sobre a promiscuidade entre público e privado, sobre a batalha entre os interesses de exploração dos recursos energéticos e as alterações climáticas e sobre a forma como o Estado colabora com a destruição do ambiente, permitindo a extracção e usando a lei como escudo para aparentar cautela e posse do mandato popular; quando na verdade todo o processo é uma farsa que começa e acaba nos corredores do Estado, sociedades de advogados e corporações da indústria extractiva. É um processo que requer alguma paciência e atenção. Ponderem ir buscar café antes de começar.

Continuar a ler

Guilhotina.info

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas