Livro sobre Severino Carvalho (1867-1957). Anarquista e, depois, militante do PCP

Acaba de ser publicado pela Alétheia Editores um ensaio (assim lhe chama o autor) intitulado "Um Homem Livre", sobre a participação do militante Severino de Carvalho (1867-1957) no movimento cultural anarquista de final do século XIX e princípio do século XX, em especial na criação do Teatro Livre (1902-08), cujo mote era “Redimir pela Arte, vencer pela Educação”, e na implementação, a partir de 1910, de um modelo de ensino inovador na Escola Oficina nº1 na Graça, em Lisboa, introduzindo em Portugal conceitos como Educação Nova, Educação pela Arte e Teatro Educação.

Severino Carvalho foi membro do Grupo "Os Bárbaros", de Coimbra (1894). Já escreve em "A Revolta" (2ª série) e em "A Propaganda", em 1894. Colaborador do Grémio de Educação Racional (Lisboa, 1909/11). Membro do "grupo intelectual libertário" e, formalmente, do Grupo de Estudos Sociais "Germinal" (1914/17). Em 1924, "A Comuna" dá vários remoques da autoria de Hilário Marques, ao "Kit" (Pseudonimo de Severino de Carvalho), então já participando no PCP, refere o Portal Mosca (http://mosca-servidor.xdi.uevora.pt/projecto/index.php?option=com_dicion...).

Explorando as semelhanças entre o contexto político, económico, social e cultural e as soluções para a mudança, do começo do século XX com a actualidade, o autor procura descrever a inspirada estratégia de atuação do movimento anarquista da altura e a enorme coragem e liberdade dos seus membros, que descrentes do sistema, críticos da sociedade e do que nela se passava, escolheram a cultura, em especial o teatro, e a educação, como ferramentas para a mudança, com resultados surpreendentes.

O autor do livro é Carlos Moura-Carvalho (1967), bisneto de Severino Carvalho. Carlos Moura-Carvalho nasceu em Lisboa, é licenciado em Direito, pós-graduado em Estudos Europeus e em Direito da Sociedade da Informação e trabalha há mais de 20 anos na área da cultura, dos direitos humanos e da propriedade intelectual. Foi advogado, gestor cultural, director geral das artes, administrador da Tóbis Portuguesa, director da Câmara Municipal de Lisboa responsável pelo projecto Alta de Lisboa, membro da Comissão de Classificação de Espetáculos, da Comissão Nacional de Direitos Humanos e de diversas organizações cívicas e movimentos de cidadãos.

A apresentação do livro será anunciada em breve.
https://www.aletheia.pt/products/um-homem-livre

via:
Portal Anarquista
Portal Anarquista (facebook)

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas