[Galiza] Começou o ano na Semente

A Semente Compostela inícia o curso: abre Semente de Primário e começam 19 crianças novas em Infantil.

A Semente de Infantil iniciou este curso com 19 crianças novas entre os dous centros compostelanos -o das Salvadas e o da Torreira- que já somam quase 50 famílias a participar neste projeto educativo de imersom e proteçom lingüística.

A Semente, que funciona como associaçom sem ánimo de lucro, é um projeto autogerido, impulsado polas famílias, activistas e persoas colaboradoras como alternativa autoorganizada de ensino em galego. É um projeto educativo que nom é nem privado nem público. É ensino comunitário, cooperativo, autoorganizado, popular.

Sete cursos despois de que a Semente abrisse com 3 crianças, o projeto está a demostrar que o ensino em galego de qualidade é possível e que os modelos de imersom e proteçom linguística funcionam e som já um referente de qualidade para as famílias da capital da Galiza.

Além de Compostela, nos últimos anos abrirom Sementes em Trasancos, Vigo e Lugo. Noutros concelhos, como em Ames ou na Corunha, estám abertos processos de organizaçom popular para abrir novos centros.

É precissamente a energia cidadá que fixo crescer o projeto em infantil a que impulsou, despois dum processo que envolveu famílias e ativistas durante mais de dous anos, o suceso histórico: abrir um centro de ensino primário.

Este processo tamém se deu em Semente Trasancos, onde este curso também abre Semente de Primário.

Se a Semente de Infantil abriu para garantir os direitos linguísticos das crianças que ao chegarem ao ensino público infantil sofrem procesos de desgaleguizaçom, a Semente de Primário dá um passo mais e inícia a etapa obrigatória com o objetivo de que as crianças nom sejam vítimas dum sistema educativo estatal que se apresenta -geraçom tras geraçom- como um dos principais agentes desgaleguizadores.

Assi mesmo, a Semente vem demostrando que o modelo de imersom línguística experimentado em infantil facilita a adquisiçom do galego às crianças e às mais e pais castelám-falantes habituais.

As ativistas da Semente fam um forte investimento militante, pessoal, económico e comunitário, forçadas a criar umha escola autogestionada porque o sistema estatal nom oferece às crianças educar-se na sua língua, nem protege os seus direitos linguísticos, reconhecidos pola legislaçom internacional, basicamente a Declaraçom Universal dos Direitos Linguísticos.

O idioma próprio da Galiza é o galego. E esperaria-se um decidido apoio, social, cultural, económico, para que continue sendo assim. Mas o que as crianças galego-falantes recebem , em troca, é o ultraje e a condena à diglosia na escola e à substituiçom lingüística, ao que as familias da Semente resistem, contra o que se rebelam, criando espaços abertos e comunitários para garantir os direitos linguísticos das crianças.

Por isso na Semente alugam espaços e locais; constroem hortas e areeiros, pintam, roçam a erva, electrificam, dam de alta luz e auga, vendem camisolas, organizam comidas ou obradoiros de dança ou futebol gaélico para se autofinanciar e, o que talvez é mais importante: criar comunidade em galego.

A Semente de Primário abre com 14 crianças na Rua do Céu, no bairro das Cancelas, como resultado dum intenso processo de autoorganizaçom que procurou recursos, umha via legal, financiamento ou planificaçom pedagógica com o impulso da participaçom popular.

Ecologia, feminismo, laicidade, participaçom das famílias, sensibilidade social, educaçom científica e, fundamentalmente, ensino em galego som princípios fundamentais da Semente.

Legalmente, a Semente de Primário abre como “escola estrangeira”, dentro dumha rede de escolas internacional para, cumprindo com a normativa legal do Reino de Espanha para escolas estrangeiras, poder desenvolver umha planificaçom linguística com o galego-português como língua veicular, com um modelo de proteçom linguística, e umha planificaçom de línguas aberta ao mundo, desde a Galiza: o inglês, o castelám e outras línguas románicas, as linguas minorizadas ou a lingua de sinais formam parte da sua programaçom.

Sentimos muita alegria e satisfaçom e temos muito, muito trabalhinho por diante.
Colabora, ajuda, tu tamém es necessária, necessário,
A Semente precisa apoio, colaboraçom.
Abraço a todas as persoas que estám a fazer isto possível, que somos muitas

Seguimos adiante.

Semente, a geraçom das mil primaveras mais!

http://sementecompostela.com/index.php/2018/comecou-o-ano-na-semente-e-t...

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas