O estado da Justiça em Portugal

Causas do silêncio dos advogados perante a situação portuguesa

A ACED é das raras senão única associação a trabalhar no campo de intervenção cívica nas prisões, enquanto em Espanha há dezenas delas, quase todas animadas por advogados e juristas.

Temo-nos perguntado como explicar o contraste entre a tradição de combatividade dos advogados portugueses em situações bem mais graves do que as actuais, no antigo regime, comparada com a actual passividade da maioria?

Um elemento relevante da resposta pode ser revelado pela postura da Ordem dos Advogados que torna "possível processar disciplinarmente eles próprios, por participação de qualquer dos seus membros, ou do próprio órgão, em interesse próprio (por se sentirem melindrados com alguma coisa, designadamente com arguições de nulidade da intervenção deles) contra qualquer advogado, permitindo-se instruírem eles próprios e julgarem eles próprios, em causa própria, portanto".

O medo de que se fala existir e impedir a acção cívica dos portugueses tem como uma das suas fontes as perseguições a advogados, como aquela denunciada por José Preto. Leia a história completa no documento em anexo.

Artigo publicado em: http://iscte.pt/~apad/ACED_juristas/liberdade%20expressao.html